Publicidade

Estado de Minas

Preso em Minas o quarto homem mais procurado pelo Ministério da Justiça

Depois de abordagem e prisão pela PRF, em Igarapé, por porte de arma e munição, investigações levaram a um dos mais perigosos assaltantes de bancos e cargas do país, segundo polícia civil


23/11/2020 12:07 - atualizado 23/11/2020 13:08

Em coletiva, polícias civli e rodoviária federal anunciaram a prisão de um dos homens mais procurados do país(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press. Brasil. Minas Gerais. Belo Horizonte)
Em coletiva, polícias civli e rodoviária federal anunciaram a prisão de um dos homens mais procurados do país (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press. Brasil. Minas Gerais. Belo Horizonte)

As polícias rodoviária federal e civil de Minas Gerais prenderam na madrugada de sábado (21),  em Igarapé, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, Diego Capistrano Elias, 34 anos, conhecido como Jovem, o quarto criminoso mais procurado do país. Ele é condenado a 123 anos de cadeia pelo assalto aos cofres da Prossegur, em São José do Rio Preto (SP), em 2016, quando 40 homens exlodiram o caixa forte da empresa e levaram R$ 51,2 milhões. Com Elias foram encontrados um fuzil AR-15, munições de pistola 9mm e R$14,5 mil em dinheiro.

O criminoso também é investigado na participação de assalto, em 2017, da empresa de valores Brincks, em Ciudad del Leste, no Paraguai, fronteira com o Brasil.  Segundo a polícia civil, o homem teria integrado quadrilha de roubo de cargas em Minas Gerais. Sem precisar as datas, o delegado  Cesar Matoso, da divisão de roubo de cargas da polícia civil , disse que Jovem também é investigado por assalto a carga de cigarros, no valor de R$ 1,5 milhão em Barão de Cocais, Região Central do estado, e outra de viedeogames, estimada em R$ 2 milhões, em Três Corações, no Sul de Minas.
 
Segundo o diretor de operações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Anderson Damasceno, um carro Audi foi abordado no quilômetro 517 da BR-381, durante operação de rotina. Mas o nervosismo do condutor chamou a atenção dos policiais. Ao mostrar os documentos ele se enganou com a data de nascimento, gerando desconfiança. O homem tentou fugir a pé mas foi capturado. O carro foi vistoriado e sobre o banco de trás estava a arma de grosso calibre e as munições.
 
Durante a abordagem e a condução à delegacia da Polícia Civil,  Capistrano insistia que se chamava Elias. Através do serviço de inteligência das polícias rodoviária e civil, descobriu tratar-se de nome falso porque, na verdade, o homem integra a lista dos mais procurados pelo Ministério da Justiça e já foi condenado, segundo a polícia civil do estado de São Paulo. O preso encontra-se sob custódio do juiz de Igarapé.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade