Publicidade

Estado de Minas DADOS DA PANDEMIA

COVID-19: Apesar de aumento de casos semanais, Itabirito registra estabilidade, segundo Prefeitura

Prefeitura alega que alta se deve, provavelmente, ao diagnóstico de infecções 'antigas'


10/11/2020 16:44 - atualizado 11/11/2020 11:18

Testes sorológicos podem estar identificando infecções antigas (foto: Wikipedia/Divulgação )
Testes sorológicos podem estar identificando infecções antigas (foto: Wikipedia/Divulgação )
A prefeitura de Itabirito, cidade da Região Metropolitana de BH (RMBH), informou um aumento no número de casos semanais de COVID-19 em relação a meados de outubro. O município vinha registrando redução no número de infecções desde o fim de setembro. 

Na semana que terminou no dia 17 de outubro, 63 casos da doença haviam sido informados. Segundo os dados epidemiológicos mais recentes, na semana entre o dia 1 e 7 de novembro, foram detectados 82 casos de COVID-19 em Itabirito, um aumento de 30% em relação a meados de outubro. 
 
Município vinha registrando queda nos casos de COVID-19 (foto: Prefeitura de Itabirito/Divulgação )
Município vinha registrando queda nos casos de COVID-19 (foto: Prefeitura de Itabirito/Divulgação )
 

A prefeitura explicou que o aumento no número de notificações provavelmente se deve a testes sorológicos feitos recentemente que diagnosticaram infecções antigas, ou seja, pacientes que foram infectados dias ou até semanas antes da realização do teste. 
 

A vigilância epidemiológica do município afirmou que a quantidade de pessoas testadas continua alta e o número de exames positivos entre os testes realizados se mantém baixo. 

A administração municipal também comemorou a redução na taxa de ocupação de leitos de enfermaria e UTIs. "Esse indicador não só não piorou, como melhorou, ao ponto de alguns leitos reservados para tratamento da COVID-19 na UPA Itabirito terem sido liberados para pacientes de Clínica Geral", informou a Prefeitura através de nota. 

Aumento de atendimentos na UPA 


A prefeitura de Itabirito também comentou o aumento no número de atendimentos realizados na UPA da cidade. "Ao que parece, o aumento de atendimentos na UPA está retomando ao níveis pré-pandemia, com grande aporte de pessoas com casos leves ou com dúvidas, que buscam atendimento por temor de estarem com COVID-19, e também se sentindo mais seguras em procurar a UPA". 

Outra hipótese levantada pela Prefeitura para o aumento da procura por atendimento na UPA foi a crise econômica causada pela pandemia. "Percebe-se também que parte do aumento da demanda na UPA está acontecendo por migração de pessoas que perderam seus planos de saúde por causa do desemprego", cogitou. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade