Publicidade

Estado de Minas

Homem é suspeito de matar a companheira em BH e fugir para Caeté

Mulher foi encontrada morta com um corte no pulso que não caracterizaria suicídio, segundo a perícia. Suspeito disse que a casa foi invadida por criminosos na madrugada, mas teria contado a funcionário de unidade de saúde que havia matado uma pessoa


26/10/2020 08:03 - atualizado 27/10/2020 06:28

Suspeito foi detido após procurar atendimento na Santa Casa de Caeté, na Grande BH(foto: Reprodução da internet/Facebook/Santa Casa de Caeté)
Suspeito foi detido após procurar atendimento na Santa Casa de Caeté, na Grande BH (foto: Reprodução da internet/Facebook/Santa Casa de Caeté)


Um homem de 30 anos foi preso suspeito de matar a companheira, de 20, neste domingo no Bairro Goiânia, na Região Nordeste de Belo Horizonte. Ele foi localizado após procurar atendimento médio na Santa Casa de Caeté, na região metropolitana. 

De acordo com a Polícia Militar (PM), testemunhas disseram ter ouvido vidros quebrando e gritos de socorro do homem vindos da residência do casal durante a madrugada. Essas pessoas disseram que eles brigavam frequentemente e que o suspeito tinha “surtos” por abuso de drogas. 

Pela manhã, uma das testemunhas disser ter visto o homem com manchas de sangue e cortes em um dos braços. Ele tentou abordá-lo, mas o suspeito não deu atenção e saiu de moto em direção à rodovia perto do local. 

A polícia só foi chamada no início da tarde, quando uma pessoa viu que o portão da casa das vítimas estava travado, pulou o muro e encontrou a mulher morta sobre a cama.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e uma equipe da delegacia de homicídios estiveram no local. A perícia da Polícia Civil constatou que a mulher tinha um corte profundo no pulso esquerdo que, a princípio, não indica a possibilidade de suicídio. O objeto usado no crime não foi encontrado.

Os policiais foram informados que o suspeito teria dado entrada na Santa Casa de Caeté, a 40 quilômetros do local do crime, onde foi detido. Ele teria procurado atendimento médico usando um nome falso e ainda teria dito a um funcionário que havia matado uma pessoa na capital mineira.

No entanto, ao ser questionado pelos policiais, o homem alegou ter discutido com a companheira ao saber que ela havia repassado a um inimigo dele um revólver calibre 38 que ele comprou por R$ 5 mil para se proteger após atritos com traficantes. Além disso, a jovem teria dito que queria terminar o relacionamento.

Ainda de acordo com a polícia, na versão dele, ocorreram agressões físicas e verbais mútuas. Logo em seguida, eles teriam sido surpreendidos por um grupo de homens que invadiu a casa e os atacou. Ele teria conseguido fugir, mas a mulher ficou para trás na casa.

O homem foi levado para a Delegacia de Plantão de Santa Luzia. De acordo com a Polícia Civil, o suspeito foi preso em flagrante por homicídio consumado e encaminhado a uma unidade prisional. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade