Publicidade

Estado de Minas LESTE DE MINAS

Outdoor de apoio a Trump divide moradores de Governador Valadares

Maioria dos comentários nas redes sociais e grupos de mensagens da cidade fala em tom de vergonha. Outros revelam perplexidade com preconceito de internautas de fora


16/10/2020 18:42 - atualizado 16/10/2020 20:13

Trump continua acenando a quem passa pela Rua Setembro, em Governador Valadares, no sentido bairro-centro(foto: Tim Filho/EM/D.A Press)
Trump continua acenando a quem passa pela Rua Setembro, em Governador Valadares, no sentido bairro-centro (foto: Tim Filho/EM/D.A Press)
A repercussão da notícia sobre o outdoor de apoio à reeleição do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, em Governador Valadaresmovimentou as redes sociais pelo Brasil. Mas à medida que a notícia viralizava país afora, os comentários nos grupos de WhatsApp e nos perfis de valadarenses no Facebook e Instagram, expressavam vergonha. “Essa vergonha eu passo no crédito ou no débito?”, era a pergunta mais frequente em muitos comentários.

A advogada Melissa Meira de Vasconcellos, que sempre faz postagens polêmicas e bem-humoradas, divertindo seus seguidores, publicou o texto “Bando de Cafonas”, da escritora e roteirista Fernando Young sobre a foto do outdoor de Trump, e escreveu: “Minha singela homenagem ao(s) responsável(is) pelo outdoor é o tratado abaixo, de Fernanda Yong. Substituam o sujeito do texto (o cafona) pelo seu nome e tenho certeza que haverá identidade e pertencimento. Deliciem-se!”.

“O cafona fala alto e se orgulha de ser grosseiro e sem compostura. Acha que pode tudo e esfrega sua tosquice na cara dos outros. Não há ética que caiba a ele.” Esse e outros trechos do texto de Fernanda Young tiveram o sujeito “cafona” substituídos pelo sujeito do outdoor, entre os seguidores de Melissa, que preferiu não das entrevista. “Não posso comentar, no momento eu só consigo rir”, disse.

O jornalista Fábio Monteiro, valadarense, acompanhou a maioria das postagens que viralizaram nas redes sociais em perfis conhecidos nacionalmente, leu a matéria do Estado de Minas sobre o outdoor republicano e os comentários dos leitores do EM.

Disse que sentiu vergonha. “Os comentários de pessoas de fora de Valadares generalizam como se fosse a população da cidade que mandou instalar o outdoor. As pessoas falam  'síndrome de Estocolmo' e ‘complexo de vira-latas’, já que o Trump é contra a imigração, e isso chega a ser assustador”, analisou Monteiro.

Ele disse que a repercussão causa perplexidade, pois o assunto reacendeu a visão preconceituosa que muitos têm em relação a Governador Valadares por causa da relação com os Estados Unidos. “As pessoas sempre lembram dessa relação de uma forma pejorativa. Li vários comentários fazendo referências a passaportes falsificados pelos valadarenses, aos valadarenses entrando ilegalmente nos Estados Unidos pela fronteira com México. Isso confere uma fama negativa à cidade.”

Nas redes sociais, ninguém se preocupa em descobrir o autor. Mas o valadarense Edson Delana, que mora nos Estados Unidos, enviou mensagem ao Estado de Minas, afirmando que encomendou a peça publicitária em apoio a Trump.
 
O outdoor republicano e conservador provocou efeito contrário. Muitas pessoas manifestam apoio ao democrata Joe Biden, perguntando nas redes e nos grupos se podem depositar o voto no candidato democrata nas agências dos Correios de Governador Valadares.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade