Publicidade

Estado de Minas EM CHAMAS

Incêndio na Serra do Cipó: cansaço e feridas marcam os nove dias de combate ao fogo

No nono dia, deste que é o maior incêndio registrado na parte central do estado, 178 brigadistas tentam debelar uma linha de 10 quilômetros de fogo na região


05/10/2020 12:45 - atualizado 05/10/2020 16:48

 Cobra coral morta pelo fogo no Parque Nacional da Serra do Cipó(foto: Fábio Feriado/Divulgação)
Cobra coral morta pelo fogo no Parque Nacional da Serra do Cipó (foto: Fábio Feriado/Divulgação)
Cansaço extremo. Mãos, pés e bocas chamuscadas são algumas das marcas adquiridas pelo contato e, também, pelas inúmeras horas frente à batalha contra o fogo, no Parque Nacional da Serra do Cipó. No nono dia, deste que é o maior incêndio registrado na parte central do estado, 178 membros das equipes de brigadistas tentam debelar, neste momento, com uma frente única, uma linha dura de 10 quilômetros de fogo na região conhecida como Alto Palácios. Outras frentes, em contrapartida, começam a ceder às chamas, como a Serra Caetana. Na frente comunitária, por outro lado, associações pedem para que turistas não lotem a serra, como  no último domingo. Um congestionamento na rodovia atrapalhou e atrasou o trabalho de logística da operação.}

Mãos queimadas de um brigadista em ação(foto: Whatsapp/Reprodução)
Mãos queimadas de um brigadista em ação (foto: Whatsapp/Reprodução)

Com ajuda de aeronaves e a reunião de forças, combatentes começam a ver luz no fim do túnel. Em nota, o ICMBio Cipó Pedreira divulgou que,  após nove dias, o maior incêndio desta região central de Minas começa a recrudescer. "O cenário geral do incêndio no dia de hoje é mais favorável que nos dias anteriores. Às ações de combate desse domingo deixaram um cenário mais favorável às operações de combate de hoje pela manhã", reportaram. 

A moradora Ana Paula Teixeira, que está envolvida com uma campanha para arrecadação de insumos, se disse indignada com a indiferença dos turistas. "Nossa serra se acabando em chamas e as pessoas fazendo fila na porta das cachoeiras, lotando os bares, a maioria sem máscaras, como se nada estivesse acontecendo. Parece que não tem incêndio e que acabou a pandemia", comenta.

Turistas vão à serra alheios ao maior incêndio da região(foto: Leandro Couri/EM/DA Press)
Turistas vão à serra alheios ao maior incêndio da região (foto: Leandro Couri/EM/DA Press)
Nesse fim de semana, algumas pousadas tiveram que ficar em estado de alerta por causa do fogo que se aproximou muito da MG-010, vindo da Serra Caetana. Por este motivo, uma frente monitora toda essa área, para evitar cenas de pânico como as reportadas pela reportagem no sábado, quando o fogo chegou muito perto da área da pousada Barriga da Lua, que postou um vídeo em suas redes sociais. Brigadistas do ICMBio e bombeiros estão atuando neste setor, que faz parte da interface do parque com a área urbana do distrito da Serra do Cipó, em Santana do Riacho.

Existem no local residências, pousadas e restaurantes. "No momento, a linha do fogo está na encosta da serra. Se descer a encosta, o fogo pode chegar com proximidade perigosa em pessoas no local. Os brigadistas, ICMBio e bombeiros estão detendo as frentes do fogo na encosta, impedindo assim seu avanço", informou a nota do órgão nesta manhã.

Imagem mais recente de satélite mostra que a maior linha de fogo hoje é no setor Alto Palácios
Imagem mais recente de satélite mostra que a maior linha de fogo hoje é no setor Alto Palácios
Na imagem mais recente do satélite no Alto Palácios, é possível ver que o  fogo está bem no alto onde está o vento e, "por conta do relevo muito acidentado da região do Vale do Rio do Peixe, dificulta o combate direto às linhas do fogo no setor Alto Palácio", diz a nota. Um brigadista, que preferiu não se identificar, contou que estava muito cansado, mas que assim que tivesse o mínimo de condições de calçar suas botas novamente, voltaria para o front. "Vimos alguns bichos mortos no meio das cinzas, como cobras, insetos incinerados, uma raposa correndo", conta. Há indícios de que o incêndio, que começou no domingo (27/9), tenha sido de origem criminosa e uma investigação já está em andamento.
 
Brigadista combate o fogo no setor Alto Palácios em 2014. Hoje, o mesmo local está em chamas com uma linha dura de fogo(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
Brigadista combate o fogo no setor Alto Palácios em 2014. Hoje, o mesmo local está em chamas com uma linha dura de fogo (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
 
 
Animais são resgatados do incêndio(foto: Whatsapp/Reprodução)
Animais são resgatados do incêndio (foto: Whatsapp/Reprodução)
 

Equipe em ação hoje no combate:

  • 76 brigadistas (Reservas biológicas da Mata Escura, Córrego do Veado e União, Parques Nacionais da Serra do Cipó, do Caparaó, Serra dos Órgãos, Serra do Gandarela e Tijuca)
  • Instituto Chico Mendes – ICMBio/MMA
  • 4 brigadistas do Parque Estadual da Serra do Intendente Instituto Estadual de Florestas IEF/MG
  • 8 brigadistas Municipais Prefeitura de Conceição do Mato Dentro
  • 13 bombeiros Militares Bombeiros do Estado de Minas Gerais
  • 31 brigadistas Voluntários Comunidades da Serra do Cipó
  • 5 pilotos de AirTractor (05 Aviões: 02 ICMBio, 02 Bombeiros e 01 Anglo American) Bombeiros e Empresa Anglo American
  • 2 apoiadores da empresa dos Aviões AirTractor – Caminhão Tanque Empresa contrato Bombeiros
  • 3 apoio Operacional do Combate Aéreo AirTractor Servidores ICMBio Cipó-Pedreira
  • 4 tripulação helicóptero Guará FTP-IEF Força Tarefa Previndêncio -IEF/MG
  • 4 tripulação Arcanjo 02 Bombeiros do Estado de Minas Gerais
  • 2 operadores do caminhão de combustível – FTP-IEF Força Tarefa Previndêncio -IEF/MG
  • 6 Motoristas e operadores dos caminhões de abastecimento de água (4 Caminhões) Prefeituras de Jaboticatubas, Santana do Riacho, Conceição do Mato Dentro e Empresa Anglo American


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade