Publicidade

Estado de Minas Revolta

Colônia italiana de Juiz de Fora faz abaixo-assinado contra leilão da Casa D'Italia

A petição pede ajuda ao Ministério das Relações Exteriores e da Cooperação Internacional para suspender a venda da propriedade


03/10/2020 19:11 - atualizado 03/10/2020 23:06

A Casa D'Italia Juiz de Fora foi inaugurada há 81 anos para difundir a cultura italiana(foto: Marcos Alfredo/Especial para o EM)
A Casa D'Italia Juiz de Fora foi inaugurada há 81 anos para difundir a cultura italiana (foto: Marcos Alfredo/Especial para o EM)
Em Juiz de Fora, colônia italiana promove abaixo-assinado contra leilão da tradicional Casa D’Italia. A revolta se deu após o consulado da Itália em Belo Horizonte emitir aviso de venda, no sistema de leilão, na quarta-feira (30). A administração juiz-forana afirma que não foi consultada e que foi pega de surpresa.

A Casa D’Italia Juiz de Fora, inaugurada há 81 anos para difundir a cultura italiana, corre o risco de encerrar as atividades. Isso porque o Consulado da Itália em Minas Gerais, sediado na capital mineira, publicou comunicado de leilão de dois imóveis para 3 de dezembro de 2020. As propriedades em Juiz de Fora pertencem ao Estado Italiano. 
 
De acordo com o comunicado, o primeiro imóvel a ser leiloado é justamente a Casa D’Italia, que está avaliada em R$ 19,5 milhões. Ela está localizada em um terreno na Avenida Barão do Rio Branco, no Centro. A área tem 3.309 m², e o edifício de três andares é protegido pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento da Prefeitura de Juiz de Fora.

A segunda propriedade, de 245 m², é um imóvel comercial avaliado em R$ 1.510.000, localizado na rua atrás da Casa D’Italia. 

Diante da situação, o presidente da Casa D’Italia, Paulo Jose Monteiro de Barros, reagiu contra a venda. Um abaixo-assinado eletrônico, criado neste sábado (3), pede ajuda ao Ministério das Relações Exteriores e da Cooperação Internacional para suspender o leilão.

Até o início da noite, o abaixo-assinado já havia ultrapassado a meta prevista de 1 mil assinaturas, já que 1.136 pessoas aderiram à petição.
 


Segundo Barros, a venda é indevida porque a Casa foi comprada por famílias de italianos, no início do século 20, e doada ao governo italiano tendo como condição manter a difusão da cultura itálica.

“Com cerca de 400 associados, há décadas a Casa promove cursos, exposições e atividades esportivas. Além disso, temos a segunda escola de pizzaiolo no mundo certificada por Napoli e um time de bocha que já foi campeão mundial em 2018, em campeonato disputado na Itália”, explica Paulo.

Histórico da Casa D’Italia


Conforme informações da instituição, a Casa D’Italia Juiz de Fora tem a Associação Ítalo Brasileira San Francesco di Paolao como mantenedora. 

Em 1939, sob a responsabilidade da Companhia Industrial e Construtora Pantaleone Arcuri, sua construção foi erguida com um projeto em estilo Art Déco. 

Ainda naquela época, suas funções eram de instrução, escola, biblioteca, hospital, beneficência, lazer e esporte..

Nos dias de hoje, a Casa D’Italia Juiz de Fora permanece com as funções de auxílio das famílias dos imigrantes, a agência consular, representando o consulado da Itália em Minas Gerais.

O local também possui a Capela de San Francesco di Paola e é sede de associações parceiras na divulgação da cultura italiana em Juiz de Fora, como o Grupo de Dança Folclórica Italiana Tarantolato, o Curso de Língua e Cultura Italiana e o time Bocha Casa D’Italia Juiz de Fora, que representa a instituição em campeonatos por todo o Brasil.

Na área cultural, abriga diversas atividades como coral, orquestra de cordas, aulas de música, escola de pizzaiolo, grupo de bordadeiras, ateliê de artes, cancha de bocha, estúdio de design, centro de estética, aulas de artes marciais e Yoga




receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade