[an error occurred while processing this directive] Cai número de casos de violência contra idoso em BH e em Minas - Gerais - Estado de Minas
Publicidade

Estado de Minas ESTATÍSTICAS

Cai número de casos de violência contra idoso em BH e em Minas

Levantamentos mostram que a maior parte das vítimas são homens e possuem entre 60 e 70 anos


01/10/2020 17:05

(foto: Pixabay )
(foto: Pixabay )
O Estatuto do Idoso está completando 17 anos nesta quinta-feira, (1º/10). Motivo de preocupação dos órgãos públicos de segurança, a Polícia Civil de Minas Gerais divulgou números que mostram a redução de casos de violência nos últimos anos, no que se refere às ocorrências relativas a maus-tratos, lesão corporal, apropriação indébita e abandono de incapaz contra pessoas com idade igual ou superior a 60 anos.

De janeiro a agosto deste ano, foram registrados 2.911 casos contra 3.248 em 2019 e 3.231 em 2018, o que demonstra a redução em números em igual período em anos anteriores.
Os dados mostram, separadamente, os vários tipos de crimes. A lesão corporal é o mais recorrente, tendo somado, até agosto deste ano, 2.221 registros.

Em média, são quase 10 idosos agredidos por dia em Minas Gerais. Segundo a delegada titular da Delegacia Especializada em Atendimento à Pessoa com Deficiência e ao Idoso, Margareth Travessoni, esse cenário merece muita atenção. “Os números são alarmantes, ainda mais quando constatamos que os familiares figuram entre os principais agressores.”
(foto: Polícia Civil/Divulgação )
(foto: Polícia Civil/Divulgação )

Segundo a delegada, a redução dos dados pode estar ligada ao isolamento social, gerando uma subnotificação. “Quanto à diminuição dos registros, o fato de as pessoas não saírem de suas residências para virem à delegacia denunciar pode ser o motivo da queda, mas é bom lembrar que hoje existe a possibilidade de registrar por meio da Delegacia Virtual para que as pessoas possam gerar a ocorrência de suas casas.”

Travessoni chama atenção para o momento vivenciado. “Idosos são pessoas sensíveis, demandam atenção, especialmente em períodos de confinamento. Sentem vontade de conversar e exprimir seus sentimentos. Muitas vezes, os familiares também estão sentindo-se mal com a pandemia, não têm a paciência e a delicadeza necessárias para tratar dos idosos.”

As denúncias de violências contra os idosos, em Belo Horizonte, podem ser feitas na Delegacia Especializada em Atendimento à Pessoa com Deficiência e ao Idoso, na Avenida Barbacena, 288, Barro Preto. Nos demais municípios mineiros, em qualquer delegacia da Polícia Civil ou postos da Polícia Militar.

Desde julho, também é possível o registro de lesão corporal, vias de fato, ameaça e descumprimento de medida protetiva por meio da Delegacia Virtual através do endereço: https://delegaciavirtual.sids.mg.gov.br/.

Existe ainda a opção do Disque 100, serviço nacional de proteção aos direitos humanos que recebe denúncias e encaminha aos órgãos competentes para as devidas providências.

Em casos de flagrante, no momento da agressão, maus-tratos ou abandono, recomenda-se chamar a Polícia Militar para comparecer ao local, a fim de cessar o crime e encaminhar os responsáveis até a delegacia, onde poderão ser presos.

Estatísticas

Em comparação com o ano passado, de janeiro a agosto foram registradas 249 ocorrências de violências contra idosos. Em 2019, foram 331, enquanto que em 2018, 314.

No estado, este ano foram 80 casos de abandono de incapaz, 349 registros de apropriação indébita e 261 de maus-tratos com vítimas idosas, além das 2.221 ocorrências de lesão corporal.

Em Belo Horizonte, foram 11 registros de abandono de incapaz, 51 de apropriação indébita, 19 casos de maus-tratos e 168 de lesão corporal contra a pessoa idosa. Os levantamentos mostram que a maior parte das vítimas são homens e possuem entre 60 e 70 anos.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade