Publicidade

Estado de Minas LESTE DE MINAS

Militares mineiros combatem incêndios no Pantanal

A equipe de militares integra o Comando de Aviação do Estado - COMAVE, que foi para o Pantanal no dia 19, numa operação que envolve os governos de Minas e Mato Grosso do Sul


25/09/2020 15:46 - atualizado 25/09/2020 16:52

Equipe de militares do Comando de Aviação do Estado, que está no Mato Grosso do Sul desde o dia 19/9(foto: Marcilene Neves/COMAVE/Divulgação)
Equipe de militares do Comando de Aviação do Estado, que está no Mato Grosso do Sul desde o dia 19/9 (foto: Marcilene Neves/COMAVE/Divulgação)
Desde sábado (19/9), uma equipe de policiais militares do Comando de Aviação do Estado – COMAVE, está no Mato Grosso do Sul para apoiar as operações de combate a incêndios florestais no Pantanal. A ida dos policiais do COMAVE é uma medida de cooperação entre o governos de Minas Gerais e Mato Grosso do Sul.

Dados do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) confirmam que o Pantanal vive seu pior ano da série histórica em número de focos de incêndio. Até dia 18, foram registrados 15.894, número maior que o acumulado em todos os anos, desde 1998. 

Conforme dados do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), com base nos números do LASA (Laboratório de Aplicações de Satélites Ambientais) da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), o fogo já consumiu 2,916 milhões de hectares do Pantanal em 2020. A área devastada é maior que o estado do Sergipe. Do total queimado no Pantanal, 1,165 milhão foi em solo sul-mato-grossense.

O COMAVE está presente na operação de combate aos incêndios com 2 pilotos, 2 tripulantes, 2 apoios de solo, 1 mecânico. A operação é um esforço conjunto entre a Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG), o Gabinete Militar do Governador (GMG) e a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec).

Força valadarense

Em Governador Valadares repercutiu positivamente a ida dos militares valadarenses, o capitão Gustavo Coelho Vaz, piloto de helicóptero, e o cabo João Pedro da Silva, técnico de Apoio de Solo, ambos da 5ª BRAvE, a Base Aérea Regional de Aviação do Estado, parte do COMAVE. 

Os dois militares vão permanecer na força-tarefa durante os próximos 15 dias, juntamente com o restante da equipe, a bordo do helicóptero PP-EJM, Pégasus 10. O helicóptero, modelo Airbus AS350 B2, esquilo, o mesmo existente em Governador Valadares, é ferramenta importante nesse tipo de operação, possibilitando apoio em deslocamentos dos brigadistas, traslado de equipamentos, ferramentas e alimentação para tropa, além de conseguir lançar cargas de água sobre o fogo de até 540 litros de água. 

A repercussão positiva em Governador Valadares se deve às inúmeras missões de salvamento bem-sucedidas feitas pelos militares da 5ª BRAvE, implantada na cidade há pouco mais de dois anos.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade