Publicidade

Estado de Minas Minas Consciente

Uberlândia contesta dados do Governo de Minas e vai à Justiça para se manter na Onda Amarela

Prefeito contesta dados locais repassados pelo Estado sobre COVID-19


11/09/2020 08:12 - atualizado 11/09/2020 09:00

Micro e macrorregião de Uberlândia estão na Onda Vermelha(foto: Divulgação/Secom)
Micro e macrorregião de Uberlândia estão na Onda Vermelha (foto: Divulgação/Secom)
A Prefeitura de Uberlândia, no Triângulo Mineiro, vai mover ma ação na Justiça para que fique na Onda Amarela do plano Minas Consciente. A administração não concorda com a regressão para a Onda Vermelha determinada tanto para a micro quanto para a macrorregião em que Uberlândia se insere e contesta os dados repassados pelo Estado sobre o avanço da COVID-19 no Município.

Em pronunciamento feito por meio de vídeo em redes sociais, o prefeito Odelmo Leão (PP) afirmou que os dados analisados pelo Comitê Executivo COVID-19 são limitados e por isso não refletiriam a realidade de Uberlândia.

“A incidência de casos em 31 de agosto era de 232 para cada 100 mil habitantes e em 7 de setembro era de 250 para cada 100 mil habitantes. No cálculo (do Estado) dessa semana foi colocado que nosso crescimento foi de 16%, e não é verdade. Nosso crescimento foi de 7,3%. A positividade do período é 34,7%. Saiu no resultado dessa semana (do Estado) que é de 54%. Eles pegaram só exames de PCR feitos pela Funed (Fundação Ezequiel Dias). São 233 casos que eles examinaram, só 233 exames para 1,2 milhão de pessoas”, disse o prefeito.



Ele ainda acrescentou que Uberlândia fez 14.191 exames de RT-PCR. “A instrução do Ministério da Saúde manda considerar todos os testes realizados, não só o PCR e aqui testamos seis mil pessoas por semana e acho que o Estado tem que reconsiderar sua análise”, afirmou Odelmo Leão.

Ele citou ainda que a ocupação de leitos na cidade tem ficado abaixo do máximo e usou como exemplo dados de 2 de setembro, quando havia 81% dos leitos ocupados, sendo que nesta semana a ocupação estaria perto de 73%, ou seja, entre cinco e sete leitos pra cada 100 mil habitantes na variação semanal.

A informação do prefeito, entretanto não deixa claro se está sendo considerada apenas ocupação de leitos de UTI ou se uma média que inclui os leitos de enfermaria. No dia 2 de setembro, por exemplo, segundo boletim publicado pela própria prefeitura, 97% das UTIs da cidade estavam ocupadas e 100% dos leitos do tipo, mas exclusivos para pacientes com COVID-19, eram usados.

Onda vermelha
Toda a macrorregião do Triângulo Norte terá que seguir à Onda Vermelha do plano Minas Consciente a partir de sábado (12), de acordo com orientação do Estado. Assim, Uberlândia não terá outra opção, pois apesar das prefeituras terem a opção de escolher em qual onda podem se manter em caso de divergência entre micro e macrorregião, também existe a orientação para que a microrregião Uberlândia/Araguari se encaixe na Onda Vermelha.

O boletim da Prefeitura desta quinta-feira (10) mostrava que o município tinha 23,1 mil casos de COVID-19 confirmados, 466 mortes confirmadas e outras duas em investigação. Do total de leitos de UTI, 88% seguiam ocupados.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade