Publicidade

Estado de Minas

Volta do feriado tem trânsito lento na manhã desta terça-feira

Manhã teve acidente na Grande BH e lentidão perto da rodoviária. Congestionamentos e flagrantes de direção perigosa marcaram fim do primeiro recesso após avanço da flexibilização do isolamento em Minas


08/09/2020 06:00 - atualizado 08/09/2020 08:07

Lentidão na BR-381 em Bom Jesus do Amparo na manhã desta terça(foto: PRF/Divulgação)
Lentidão na BR-381 em Bom Jesus do Amparo na manhã desta terça (foto: PRF/Divulgação)


A volta do feriado prolongado de 7 de setembro tem trânsito lento em algumas rodovias federais e no Centro de Belo Horizonte na manhã desta terça-feira. 

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), um caminhão e uma carreta bateram de frente na BR-381, em Ravena, distrito de Sabará, na Grande BH. As vítimas sofreram apenas ferimentos leves. Pouco antes das 7h, a pista no sentido Belo Horizonte havia sido liberada e os policiais trabalhavam para fazer o mesmo em direção a João Monlevade.



Outro ponto de lentidão ficava na BR-040, de Ribeirão das Neves até as proximidades da Ceasa Minas por conta do grande número de veículos. O cenário se repetia em Bom Jesus do Amparo. A PRF informou que deve divulgar um balanço das ocorrências no fim do dia. 

Nas MGs, segundo a Polícia Militar Rodoviária (PMRv), a situação era tranquila. 



Já na capital, havia registro de lentidão na Avenida do Contorno, altura da rodoviária, com reflexos nas avenidas Olegário Maciel e Afonso Pena. Para quem seguia no sentido Centro, havia lentidão na Avenida Antônio Carlos desde a saída da Pedro I e também na Avenida Cristiano Machado. 

'Vírus' da imprudência


Fluxo de veículos na BR-381, sentido Belo Horizonte, no fim da tarde de ontem: movimentação com características pré-pandêmicas(foto: Túlio Santos/EM/D.A Press)
Fluxo de veículos na BR-381, sentido Belo Horizonte, no fim da tarde de ontem: movimentação com características pré-pandêmicas (foto: Túlio Santos/EM/D.A Press)
Bastou o primeiro feriado na mais flexível fase de isolamento desde o início da pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2), em Minas Gerais, para que as estradas voltassem a experimentar um movimento semelhante apenas a feriados como o carnaval, época sem restrições de circulação e atividades. E não foi apenas isso. Diante das compridas fileiras de veículos, motoristas apressados e imprudentes avançaram sobre os acostamentos para tentar ganhar tempo e se lançaram na contramão em trechos proibidos, de faixas contínuas, ignorando os riscos de acidentes.

O principal foco de retenções rodoviárias foi a BR-381, entre BH e João Monlevade, a chamada Rodovia da Morte, que, além das 200 curvas em 100 quilômetros e do fluxo intenso esperado no recesso, ainda apresentava problemas de trafegabilidade e desvios devido às obras de duplicação. Próximo a Bom Jesus do Amparo, motoristas tiveram de fazer desvios em trechos de terra. Os congestionamentos e lentidão nessa via passaram de 40 quilômetros.

O movimento das estradas começou tranquilo, engrossando a partir das 14h. Principalmente na BR-381, para quem vinha do Espírito Santo e do Vale do Aço para a capital mineira, dois pontos de congestionamentos, retiveram mais o fluxo de carros. O pior deles se deve a um desvio em trecho de terra, entre Bom Jesus do Amparo e São Gonçalo do Rio Abaixo, onde se formaram 16 quilômetros de filas lentas e ainda ocorreu um acidente sem maior gravidade. A PRF recomendou que os motoristas buscassem rotas alternativas. Em Barão da Cocais, outro ponto de congestionamento se alastrou desde o acesso da cidade. Pontos de lentidão foram se ampliando ao longo do dia, tomando locais como o posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF), em Sabará, na entrada de Ravena, em Roças Novas, nas proximidades do Restaurante do Amigão, no Trevo de Itabira à São Gonçalo do Rio Abaixo e em Antônio Dias (Sá Carvalho).

Já às 16h, o movimento se intensificou nas principais vias de acesso a BH, as BRs 381 e 040. Na Rodovia Fernão Dias, a BR-381 entre Betim e Contagem já contava com as pistas repletas de veículos seguindo em baixa velocidade e com retenções pontuais. Os segmentos com mais carros e mais baixa velocidade estavam todos em Betim, na altura do Bairro São João e adiante, na altura da fábrica de veículos da Fiat até o Jardim Piemonte, perfazendo cerca de 25 quilômetros.

Na BR-381 entre o Vale do Aço, Espírito Santo e BH, o tráfego pesado se emendou ao Anel Rodoviário, atravessando a capital, Sabará e Santa Luzia. Os trechos já enfrentavam dificuldades desde o início da tarde. Foi um momento que exigiu muita paciência dos veículos e que foi se agravando com o passar das horas.

Na BR-040, o movimento também foi intenso entre BH e Brasília (Norte) e a capital mineira e o Rio de Janeiro (Sul). Ocorreram pontos de congestionamento na parte Sul próximo ao Jardim Canadá (Nova Lima), entroncamento para Ouro Preto (BR-356), no topo do Mundo (Brumadinho), Itabirito, Congonhas, Conselheiro Lafaiete e Barbacena. No sentido Norte, o trecho mais carregado era o de mais de 15 quilômetros entre Ribeirão das Neves e Esmeraldas, devido ao enorme fluxo de veículos.

O fluxo nas vias estaduais só se agravou mais tarde, com a MG-010 experimentando maior intensidade na região de Lagoa Santa e a MG-050 com tráfego mais lento nas proximidades da Grande BH, próximo a Juatuba.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade