Publicidade

Estado de Minas Assassinato

Com a prisão de três suspeitos, polícia esclarece chacina de Itabirito

Motivação para o crime foi a disputa por pontos de venda de drogas


28/08/2020 18:57 - atualizado 28/08/2020 19:12

(foto: Polícia Civil de MG/Divulgação)
(foto: Polícia Civil de MG/Divulgação)
Uma chacina ocorrida na noite de sábado (22), em Itabirito – que resultou na morte de cinco pessoas e três feridos, inclusive uma criança de dois anos –, motivada pela disputa de pontos de drogas, foi esclarecida pela Polícia Civil com a prisão de três suspeitos.

Durante as buscas, foram apreendidos 55 tabletes de maconha, que pertenciam aos investigados pela chacina. Outros dois integrantes da quadrilha responsável pelo crime já foram identificados e são considerados foragidos.

Morreram no local dois homens, de 43 e 20 anos, e dois adolescentes, de 16 e 17 anos. Ficaram feridas, além da criança, uma adolescente de 14 e duas mulheres de 20, sendo que uma delas morreu na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Itabirito, para onde os feridos foram levados.

Na casa onde ocorreu a chacina, a polícia encontrou 51 pedras de crack e 12 buchas de maconha.

O delegado regional em Ouro Preto, Alfredo Rezende Coelho, diz que o crime retrata a atual situação de uma cidade que está em crescimento: “Itabirito é uma área de expansão metropolitana, em que há proliferação de condomínios de alto padrão. Com isso, houve o aumento do mercado consumidor e a tendência de toda organização criminosa é se deslocar para o território onde vai conseguir lucro”.  

A cidade é hoje alvo de criminosos, segundo ele: “Foram realizadas diversas operações e a prisão de várias pessoas, resultando na desarticulação de organizações criminosas. Em decorrência disso, houve um novo rearranjo dessas organizações”.

O crime


Frederico Mendes, delegado de Itabirito, responsável pela coordenação das investigações, conta que a chacina era para ter ocorrido cinco dias antes.

“Ela não aconteceu porque houve um tiro amigo, em que um disparo acertou um dos supostos executores. Diante disso, eles abortaram a ação e deixaram o homem na UPA da cidade para ser socorrido. A partir daí, os criminosos se reorganizaram para cometer o crime”, contam

“Os suspeitos chegaram ao local, que fica no Bairro Macacos, em um carro com quatro pessoas, sendo que o quinto investigado estava em uma moto. Eles entraram na casa e efetuaram disparos de arma de fogo em todos que estavam lá. Os alvos seriam uma pessoa que está presa e outra que teria sido vítima de uma tentativa de homicídio, no dia 14 de maio. Os disparos resultaram na morte imediata de quatro pessoas e outra faleceu no hospital”, detalhou Frederico.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade