Publicidade

Estado de Minas INTERIOR DE MINAS

Autorização para reabertura de shopping em Ipatinga pega lojistas de surpresa

Quase 40% das lojas do Shopping do Vale só voltarão a funcionar na semana que vem; praça de alimentação terá capacidade reduzida


20/08/2020 15:29 - atualizado 20/08/2020 17:11

Movimento no Shopping do Vale ainda é pequeno, mas deverá voltar ao normal com a abertura de todas as lojas(foto: Imprensa/Shopping do Vale)
Movimento no Shopping do Vale ainda é pequeno, mas deverá voltar ao normal com a abertura de todas as lojas (foto: Imprensa/Shopping do Vale)
As empresas instaladas no Shopping Vale do Aço, em Ipatinga, que tiveram o funcionamento autorizado desde a quarta-feira (19), ainda não reabriram totalmente para o atendimento ao público. Segundo a administração do shopping, a liberação pegou de surpresa a maioria dos empreendedores, e não houve tempo hábil para que todos reabrissem.

Pouco mais de 60% das lojas entraram em operação, conforme informou a coordenadora de marketing do centro de compras, Priscila Coelho. Na próxima semana, todas as lojas estarão operando de acordo com as medidas sanitárias exigidas para o controle da COVID-19.

“Em breve, com os números da COVID-19 em declínio e boa vontade das autoridades, o Shopping Vale do Aço poderá voltar ao funcionamento normal, de segunda a domingo, para que todo o prejuízo amargado nesses longos cinco meses possa ser amenizado”, comenta José Maria Facundes, presidente do Sindicato do Comércio Varejista e Atacadista de Bens e Serviços (Sindcomércio) do Vale do Aço. 
  
O shopping estava fechado desde 21 de março e nesse período não foi incluído nas regras de flexibilização do comércio de Ipatinga, que eram determinadas pelo Conselho Gestor de Crise para a COVID-19, que seguia a Deliberação 17 da lei estadual.

O shopping somente poderia reabrir caso Ipatinga aderisse ao programa Minas Consciente  – projeto de retomada da economia feito pelo doverno estadual –  e o município fosse incluído na onda amarela.

Na dúvida em relação à onda na qual o município seria incluído, porque o Minas Consciente considera a classificação por microrregião, o Comitê preferiu esperar e, com isso, o shopping ficou fechado. 

Na terça-feira, a brecha da Deliberação 18 da lei estadual permitiu que a prefeitura editasse novo decreto municipal de flexibilização, considerando os bons índices alcançados no combate à COVID-19. Assim, o shopping, bares, restaurantes e lanchonetes puderam ser reabertos.

Alívio para os lojistas


Logo na entrada, clientes terão a temperatura corporal medida e receberão orientações(foto: Imprensa/Shopping do Vale)
Logo na entrada, clientes terão a temperatura corporal medida e receberão orientações (foto: Imprensa/Shopping do Vale)
 

“Estamos muito felizes com o retorno das atividades no Shopping Vale do Aço. A expectativa de retomada econômica é grande, tanto da administração quanto para os lojistas”, disse Priscila Coelho, informando que estão sendo observadas “todas as medidas de segurança para garantir a saúde de clientes e consumidores.” 

Muitos estranharam o fato de algumas lojas ainda estarem fechadas. A administração do Shopping do Vale explicou que em função das medidas de proteção ao emprego definidas pelo Governo Federal, em que é permitida a suspensão e a redução da jornada de trabalho, é necessário comunicar em um intervalo mínimo de 48h aos funcionários que estão sob essa condição para retornarem às atividades.

Nesse período, algumas lojas se ajustando para a reabertura.

O Shopping Vale do Aço irá funcionar com as operações de lojas, quiosques e praça de alimentação das 12h às 21h, de segunda a sexta-feira.

A praça de alimentação irá operar com capacidade reduzida para 50% dos clientes, distância mínima de 2 metros entre as mesas e restringida a ocupação máxima de quatro pessoas por mesa, de acordo com o Decreto Municipal de Nº 9.404.

Ao longo da próxima semana, tudo estará normalizado.

Santana do Paraíso


Em Santana do Paraíso, cidade da região metropolitana do Vale do Aço, onde está o aeroporto da Usiminas, bares, restaurantes, lanchonetes e estabelecimentos congêneres também estão retornando aos poucos.

Esses estabelecimentos poderão funcionar entre 10h e 23h para o consumo interno. Antes ou após esse horário, só será permitido o funcionamento na modalidade delivery ou retirada no balcão.
 
O distanciamento entre as mesas deverá ser de 2 metros, com a redução do número de cadeiras disponibilizadas aos clientes. Além dessas medidas, os estabelecimentos precisam disponibilizar álcool em gel para o uso dos clientes e permitir somente a entrada de quem estiver usando máscara, admitida sua retirada para o consumo de alimentos no local. 

Conforme a decisão, os responsáveis pelos estabelecimentos deverão assinar o Termo de Responsabilidade e afixar num local visível, além de entregar uma via assinada no Departamento de Tributação e Arrecadação. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade