Publicidade

Estado de Minas COVID-19

Que monstro é esse? Livros gratuitos ajudam pais a explicar pandemia para os filhos

Professores da Universidade Federal Fluminense desenvolveram material gratuito para auxiliar nos porquês dos pequenos em meio ao momento de isolamento social


20/08/2020 08:21 - atualizado 20/08/2020 10:26

Livro que explica para crianças o que é o coronavírus foi escrito em três línguas e já foi divulgado em vários países(foto: Divulgação/UFF)
Livro que explica para crianças o que é o coronavírus foi escrito em três línguas e já foi divulgado em vários países (foto: Divulgação/UFF)
Explicar para as crianças, de maneira lúdica, esse momento de isolamento social, assim como as causas e consequências da COVID-19, tem sido um grande desafio para os pais, especialmente quando eles acumulam essa rotina de cuidados com o teletrabalho e os afazeres de casa. Em sintonia com esse momento, a Universidade Federal Fluminense (UFF), no Rio de Janeiro, lançou duas publicações voltadas para o público infantil que estimulam a curiosidade e o gosto pela ciência.

Percebendo a dificuldade dos adultos em abordar o tema da pandemia com as crianças, a professora Dilvani Oliveira desenvolveu o livro "Corona: esse vírus usa coroa, mas não é rei!", que pode ser baixado pela internet de forma gratuita. Segundo ela, “o obstáculo ocorre inclusive por desconhecimento de noções básicas de educação em saúde, além de questões relativas ao negacionismo científico e às dificuldades de divulgar ciência para o público infanto-juvenil em linguagem acessível para essa faixa etária”, explica.

A relação da pesquisadora com a produção de livros infantis é antiga e faz parte de sua carreira, de mais de 30 anos, em atividades acadêmico-científicas. “Sinto-me bastante estimulada a incrementar essa atividade numa linha de pesquisa em Educação em Saúde. A proposta é construir histórias que insiram o conceito de promoção de saúde para esse público, que é tão eficiente no aprendizado e também na disseminação da informação, capaz de promover mudanças educacionais efetivas nele próprio e nos adultos à sua volta”.

Diversos estudantes, colegas e parceiros de pesquisa, inclusive de outras instituições e países, mobilizaram-se na divulgação do livro. Além do Brasil (Bahia, Ceará, Mato Grosso, Paraná, Rio de Janeiro e Rio Grande do Norte), o livro foi lançado na Alemanha, Argentina, Bélgica, Benin, Bielorrúsia, Egito, EUA,  Indonésia, Itália, Noruega, Portugal, Rússia e Turquia. A publicação também contou com a colaboração dos professores Alphonse Kelecom, do Instituto de Biologia, e Mayra Rochael, do Programa de Pós-Graduação em Patologia do HUAP, do ilustrador Douglas Santos da Silva - graduado em Design pela UFF -, além da pesquisadora da FIOCRUZ Cintia de Moraes Borba.


Mais ciência para as crianças

“Paleoparasiotologia na educação básica”, de autoria das professoras Daniela Leles e Fernanda Guimarães, aborda de forma mais ampla a ciência que estuda os micro-organismos recuperados em materiais antigos, como múmias, ossos e dentes. O livro contribui para contar a história evolutiva da vida na Terra, tais como hábitos alimentares e higiênicos e as migrações humanas, que tiveram lugar em todos os tempos e numa grande variedade de circunstâncias.

A ideia dessa publicação surgiu a partir do projeto de extensão “Paleoparasitologia para todos”, desenvolvido em 2017, momento em que foi criada uma história ilustrada e um repertório de atividades voltado para a educação infantil. 

Segundo Daniela Leles, foram realizadas várias oficinas nas escolas de Niterói, cidade localizada na região metropolitana do Rio de Janeiro, não mais ligadas somente à educação infantil, mas também ao ensino fundamental e médio. Além disso, foram organizados eventos voltados para a divulgação científica, promovidos pela a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e pela própria universidade; por exemplo, o evento “UFF nas praças”, que reúne docentes e alunos para apresentar à sociedade pesquisas e projetos de toda a universidade.

Uma grande preocupação do grupo era que o projeto pudesse atender a um público mais amplo. Em razão disso, juntaram esforços para desenvolver um livro destinado a professores, pais, mães ou demais responsáveis que quisessem abordar o tema dentro ou fora da escola. Cada capítulo, além do material de estudo, apresenta ainda curiosidades, recomendações de atividades para diferentes faixas etárias, além de sugestões de cuidado com o meio ambiente, a partir de dinâmicas elaboradas com base em materiais recicláveis e reutilizáveis.

O objetivo principal da publicação, segundo a professora, é valorizar a ciência brasileira desde a primeira infância, podendo, desta forma, se criar um ambiente propício para despertar vocações nas crianças. “Precisamos de novos paleoparasitologistas e também que eles fiquem no Brasil. Precisamos de mais mulheres na ciência brasileira (não à toa, a personagem paleoparasitologista do primeiro livro é uma mulher) e que os brasileiros valorizem os nossos cientistas”, enfatiza.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade