Publicidade

Estado de Minas ACIDENTE

Uber vai arcar com tratamento de motoqueiro que perdeu a perna em BH; indenização é avaliada

Entregador do aplicativo de delivery da empresa estava trabalhando quando foi atingido por carro que desrespeitou semáforo; ele corre risco de vida


04/08/2020 19:25

Luan está internado no João XXIII, na área hospitalar de BH.(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
Luan está internado no João XXIII, na área hospitalar de BH. (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
A Uber vai arcar com os custos do tratamento médico do motoqueiro Luan Araújo Pedroso, 32, atingido por um carro na última sexta-feira (31), no Bairro Sion, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte. Nesta terça-feira, a família de Luan, que perdeu uma perna e está internado no Hospital João XXIII, foi contactada pela seguradora responsável por cobrir danos causados aos trabalhadores do UberEats — aplicativo de delivery da empresa estadunidense.

Quando o Estado de Minas tomou conhecimento da história, a esposa de Luan, Thaís Ferreira, 27, alegava ainda não ter recebido respostas concretas vindas da Uber, que havia pedido um prazo para dar retorno. Segundo Thaís, após a reportagem procurar a empresa, a seguradora entrou em contato garantindo o pagamento de possíveis exames e medicamentos.

Luan estava trabalhando quando, em um cruzamento das ruas Grão Mogol e Montes Claros, foi atingido em cheio por carro que avançou o sinal. Ele acabou arremessado da motocicleta. Além da amputação, o motoqueiro teve fratura exposta, que ocasionou hemorragia, traumatismo craniano, coágulo cerebral e parada cardíaca.

Ele respira por ajuda de aparelhos, está em situação estável, mas ainda corre risco de vida.

Corrente de solidariedade


Motoboys de Belo Horizonte organizaram campanha para arrecadar mantimentos e ajudar a família de Luan. O casal tem filhos de 1, 5 e 7 anos.

“Eles têm me dado assistência. Ontem, recebi alimentos e fraldas para minha filha. Várias pessoas têm me perguntado o que eu e meus filhos precisam”, conta Thaís.

Indenização é avaliada


Além da cobertura às despesas médicas, o seguro garantido aos motoqueiros do aplicativo garante indenização aos trabalhadores que se tornam inválidos. O valor pode chegar a R$ 100 mil, de acordo com o grau de invalidez.

É o caso de Luan. Peritos irão avaliar o quadro clínico dele tão logo receba alta. O seguro contempla, ainda, mortes acidentais. Nesse caso, os familiares recebem R$ 100 mil.

Em nota enviada à reportagem, a Uber lamentou o acidente e reiterou o contato com a família para prestar ajuda.

No último sábado de julho, motoqueiros que prestam serviços aos aplicativos protestaram, em BH, por melhores condições de trabalho


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade