Publicidade

Estado de Minas Reação

COVID-19: CDL defende que reabertura já poderia ter sido feita

Argumento da entidade é que a prefeitura já havia rejeitado a ideia de reabrir as lojas quando a ocupação de UTIs estivesse em 80%. Como está em 84%, o critério teria mudado


04/08/2020 16:02 - atualizado 04/08/2020 18:01

(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
Após a retomada do plano de reabertura do comércio em Belo Horizonte, anunciada pelo prefeito Alexandre Kalil (PSD) nesta terça-feira (4), a Câmara dos Dirigentes Lojistas de BH (CDL/BH) divulgou nota em que defende que a medida poderia ter sido tomada mais cedo. O argumento da entidade é que a Prefeitura já havia rejeitado a ideia de reabrir as lojas quando a ocupação de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) estivesse em 80%, e por isso o critério teria mudado. 

 

“Hoje, a prefeitura decide que o comércio pode abrir de quinta a sábado desta semana. E o índice de ocupação de leitos de UTI está em 84%. Dá para entender tamanha contradição?”, questiona no comunicado. De acordo com o último boletim epidemiológico, em 2 de agosto a ocupação de UTIs exclusivas para COVID-19 na capital estava em 83,7%. 

 

A PBH também anunciou nesta terça que vai passar a levar em consideração os leitos da rede privada para a tomada de decisões sobre a epidemia na cidade.  De acordo com a CDL/BH, se isso fosse feito antes e o comércio já estaria aberto há mais tempo. “Evitando a quebradeira de milhares de negócios e o desemprego de milhares de trabalhadores, que se encontram com sérias dificuldades para sustentar suas famílias”, afirma a entidade na nota. 

 

Já o presidente do Sindicato do Comércio Lojista de Belo Horizonte (Sindilojas-BH), Nadim Donato Filho, disse estar satisfeito. "São três dias agora muito importantes para o Dia dos Pais. Não paramos de negociar o tempo inteiro. Estamos aceitando e satisfeitos. Claro que se bares e restaurantes estivessem conosco seria bem melhor. Agora faço meu apelo. Usem máscara. Não respeitar é fechar o comércio novamente. Por favor, façam a higienização", disse. 

 

A administração municipal autorizou a reabertura das atividades econômicas contempladas na fase 1 a partir desta quinta-feira, dia 6. O anúncio foi feito após o Comitê de Enfrentamento à COVID-19, confirmar a tendência de queda na velocidade de transmissão, com impacto direto na ocupação de leitos para os infectados pelo coronavírus.

 

Como o índice de ocupação de leitos de UTI ainda está na zona de alerta, o município decidiu, neste primeiro momento, limitar os dias para abertura, para trabalhar com menor fluxo de pessoas nas ruas.

 

“Serão inicialmente três dias de comércio aberto e quatro dias fechado, e não o contrário. Sentiremos os impactos dessa nova retomada gradual e, nas próximas semanas, se os indicadores assim permitirem, poderemos ir ampliando gradativamente”, disse o secretário municipal de Planejamento, Orçamento e Gestão, André Reis.

 

Uma outra mudança teve que ser feita para esta primeira semana, de acordo com o secretário de Planejamento. “Como a retomada será a partir de quinta-feira, o comércio varejista contemplado na Fase 1 poderá funcionar também no sábado. Passada esta semana, funcionarão quarta, quinta e sexta-feira, conforme previsto”, explicou.

Como ficou a abertura

 

Primeira semana da Fase 1 (de 6 a 8 de agosto):

 

• Todo o comércio varejista não contemplado na fase de controle: Estabelecimentos de rua, centros de comércio e galerias de lojas: quinta a sábado, entre 11h e 19h.

 

• Comércio atacadista da cadeia do comércio varejista da Fase 1 (incluindo vestuário): quinta a sábado, entre 11h e 19h.

 

• Cabeleireiros, manicures e pedicures: quinta a sábado, entre 11h e 20h.

 

• Shopping centers, centros de comércio e galerias de lojas: quinta a sábado, entre 12h e 20h. Praças de alimentação funcionarão somente por delivery ou retirada, sem consumo no local.

 

• Atividades no formato drive-in: sexta a domingo, de 14h às 23h.

 

Segunda semana em diante da Fase 1 (a partir de 12 de agosto):

 

• Todo o comércio varejista não contemplado na fase de controle: Estabelecimentos de rua, centros de comércio e galerias de lojas: quarta a sexta,  entre 11h e 19h.

 

• Comércio atacadista da cadeia do comércio varejista da Fase 1 (incluindo vestuário): quarta a sexta, entre 11h e 19h.

 

• Cabeleireiros, manicures e pedicures: quinta a sábado, entre 11h e 20h.

 

• Shopping centers, centros de comércio e galerias de lojas: quarta a sexta, entre 12h e 20h. Praças de alimentação funcionarão somente por delivery ou retirada, sem consumo no local.

 

• Atividades no formato drive-in: sexta a domingo, das 14h às 23h. 

 

 

*Estagiário sob supervisão 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade