Publicidade

Estado de Minas BAIRRO CIDADE NOVA

Armados e sob efeito de drogas, advogado e comparsa são presos após roubo a posto de gasolina

Dupla fez uso de cocaína, abasteceu o carro, se recusou a pagar e ainda ameaçou frentista com réplica de arma de fogo


03/08/2020 09:10 - atualizado 03/08/2020 09:29

Posto de gasolina no bairro Cidade Nova, região Nordeste de BH(foto: Reprodução/Google Street View)
Posto de gasolina no bairro Cidade Nova, região Nordeste de BH (foto: Reprodução/Google Street View)
Dois homens, de 27 e 33 anos, foram presos na madrugada desta segunda-feira (3) após roubarem um posto de gasolina e ameaçarem o frentista com uma arma de fogo no Bairro Cidade Nova, região Nordeste da capital. A dupla teria abastecido o carro enquanto fazia uso de cocaína, se recusado a pagar pelo combustível e fugido logo após intimidar o funcionário. Um deles se apresentou como advogado.
 
Segundo o boletim de ocorrência, a dupla chegou ao local para abastecer e o frentista percebeu que o condutor estava fazendo uso do entorpecente. Após o serviço, os homens disseram que realizariam o pagamento com cartão. O funcionário, então, pegou a máquina e se dirigiu até o veículo para fazer a cobrança.

O motorista, entretanto, se recusou a pagar e disse que mataria o frentista se ele anotasse a placa e chamasse a polícia. A vítima percebeu que o homem estava com um volume na cintura.

A dupla evadiu do local e o frentista logo em seguida acionou os militares. Duas motos da polícia estavam pela região e chegaram a perseguir o veículo, até que conseguiram interceptá-lo na Rua Coronel Pedro Paulo Penido, ainda no Cidade Nova, nas proximidades do posto de gasolina.

Os homens resistiram à abordagem e os militares precisaram usar a força para conter os dois. Os policiais realizaram buscas e encontraram dois pinos de cocaína e uma réplica de arma de fogo. O frentista reconheceu a dupla, que estava visivelmente alterada.

Um dos homens afirmou ser advogado e chegou a apresentar a carteira da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Os militares fizeram contato com a instituição, que se negou a enviar um representante. Os dois homens foram presos e encaminhados à Ceflan 1 (Central de Flagrantes 1).
 
*Estagiário sob supervisão do subeditor Frederico Teixeira 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade