Publicidade

Estado de Minas Aulas on-line

Campanha recolhe computadores para doar a estudantes sem recursos

Alunos da UFMG reparam os equipamentos digitais para colegas sem condições de acompanhar aulas remotas, marcadas para iniciar em agosto


postado em 10/07/2020 14:32 / atualizado em 10/07/2020 16:19

Equipamentos doados são consertados na casa do estudante de engenharia de controle e automação Lucas Neves(foto: Lucas Lima Neves/Arquivo pessoal)
Equipamentos doados são consertados na casa do estudante de engenharia de controle e automação Lucas Neves (foto: Lucas Lima Neves/Arquivo pessoal)

Computadores e notebook defeituosos ou sem uso são o alvo dos alunos de engenharia de controle e automação da UFMG Gabriela Amorim, Lucas Neves Lima e  Renata Oliveira. Peças de PCs antigos também são aceitos. Eles criaram o grupo http://manutencaosolidaria.ga/ que identifica doadores e recolhem, consertam e reformam os equipamentos a serem doados a colegas de toda a universidade que não dispõem de recursos para acompanhar as aulas remotas, previstas para início de agosto.

Com o propósito de atingir 100% de inclusão digital na UFMG, Lucas teve a inciativa, que foi logo incorporada pelo Grêmio de Engenharia e Automação (GECA), explica Gabriela, que é diretora acadêmica da entidade.

A ideia logo ganhou apoio da Fundação Universitária Mendes Pimentel (Fump), órgão da universidade, responsável pela manutenção dos restaurantes e moradias universitárias e de fornecimentos de serviços de assistência estudantil aos alunos de menor condição socioeconômica. A Fump também dispõe de programas de auxilios emergenciais. A fundação receberá os equipamentos consertados e ficará responsável pela doação e distribuição.
 
A divulgação em redes sociais teve retorno imediato, surpreendendo o grupo. Em duas semanas, já recolheu mais de 150 doações, cinco monitores, 30 notebook e várias pessoas se oferecendo para transporte, já que a logística de busca e entrega é um entrave. À Fump serão destinados os computadores e notebooks em bom estado de conservação e funcionamento, explica Gabriela Amorim.
 

Levantamento 

 
Ao anunciar o retorno às aulas, a UFMG fez um levantamento entre 23 mil alunos que aceitaram participar, representando 71,86% de alunos ativos na instituição em cursos de graduação e pós graduação. Entre os 19 mil graduandos, 2,7 mil  (11,72%) responderam ter condições razoáveis  e 1,3 mil (5,99%) precárias de acesso à internet. Outros 82,29% (19) consideraram ótimas ou boas as condições de receber as aulas remotas. 
 
A partir dessa constatação, os três amigos se sensiblizaram e partiram para ação de divulgar a ideia. O conserto é por conta do Lucas. "No dia em que a faculdade soltou a nota, indicando grande número de pessoas sem acesso ao ensino remoto emergencial (ERE) me lembrei que no começo do ano vendi uma máquina velha, por valor irrisório. Ela passou anos na gaveta esperando conserto. E pensei que muitas pessoas poderiam ter o mesmo comportamento. Foi quando a Fump lançou a campanha para arrecadar equipamentos por meio de doação. Postei inicialmente no Twitter e no Instagram e a Gabi e a Renata se ofereceram para ajudar", conta Lucas Lima.
 
Tanto para doadores quanto receptores, ou quem quiser colaborar, o controle é através do prenchimento de um formulário. Nele constam dados como região, telefone, e-mail, endereço, e o que será doado. O inscrito responde também se tem disponibilidade de entrega. "Na planilha de resposta temos uma aba separada com quem pode entregar, e quem precisa que busque", explica Gabriela, o que facilita aos voluntários da logística. O Lucas conserta tudo em casa. "Atualmente estamos tentando conseguir alguns pontos para manutenção, espalhados na cidade, de forma a facilitar a logística de recolhimento, , além aumentar a velocidade de disponibilizar as máquinas prontas",  lembra Gabriela. 
 
De acordo com Lucas a universidade divulgou os equipamentos para as ERE, que precisam de uma configuração mínima. CPU: Core 2 duo, 4 Gigabytes de memória RAM, 120GB de SSD ou HD. "Acredito que para alguns cursos essa configuração seja mais que suficiente, mas para outros é algo bem limitado", reconhece Gabriela.
 
Em 30 de junho, a UFMG promoveu quatro chamadas que integram a sua Política de Inclusão Digital, "formulada para assegurar acesso do corpo discente a equipamentos de informática e a redes de internet." Segundo a instituição, a medida é essencial para que todos os estudantes de graduação e pós-graduação, incluindo aqueles com deficiência, possam acompanhar as atividades que serão ministradas de forma emergencial e remota em meio à pandemia de covid-19. 
 
As inscrições terminam em 20 de julho. A primeira chamada concede um auxílio de R$ 1,5 mil e é destinada à aquisição de equipamentos por estudantes de primeira graduação, em regime presencial, regularmente matriculados e frequentes. 
 
A segunda prevê a oferta de auxílio para contratação de serviços de internet, softwares e outros recursos para beneficiar a inclusão de estudantes de graduação, assistidos por programas da Universidade. A exigência é também que estejam regularmente matriculados e frequentes em cursos presenciais. Os valores variam entre R$ 70 a R$ 100, mensais, durante a vigência do ensino remoto emergencial.
 
Também aberta a estudantes de graduação, a terceira chamada tem como foco empréstimos de computadores. Serão priorizados os estudantes classificados em níveis 1, 2 e 3, conforme avaliação socioeconômica, renda bruta per capita de até um salário mínimo e meio, priorizando as menores rendas brutas per capita. Estudantes não incluídos na Política de Assistência Estudantil da UFMG podem solicitar avaliação socioeconômica, preenchendo o questionário disponível no site da Fundação Universitária Mendes Pimentel (Fump). 
 
A quarta chamada destina-se à aquisição de material acadêmico específico (equipamentos de tecnologia assistiva e/ou tecnológicos) para estudantes de graduação com deficiência. Eles também devem estar cursando sua primeira graduação, regularmente matriculados e frequentes no primeiro semestre de 2020, acompanhados pelo Núcleo de Acessibilidade e Inclusão (NAI) e assistidos por programas da UFMG gerenciados pela Fump. Cada estudante poderá pleitear valor único de até R$ 1,5 mil.

Apadrinhamento 

 
Outra frente de ampliação dos níveis de inclusão digital para estudantes da UFMG é a campanha de apadrinhamento lançada pela Fump. 
 
A Bolsa Apadrinhamento Inclusão Digital será destinada a estudantes de Belo Horizonte e Montes Claros que não possuem equipamentos como computadores ou notebooks. Para receber os benefícios eles devem cursar a primeira graduação na UFMG,regularmente matriculados, frequentes e classificados socioeconomicamente pela Fump nos níveis I, II e III. 

De acordo com a Fump o propósito é oferecer oportunidade para que esses estudantes adquiram ou recebam um computador ou notebook para favorecer a realização das atividades acadêmicas necessárias à sua formação. 
Os padrinhos e madrinhas poderão doar notebook ou computador com configuração mínima Core 2 Duo, 4GB, 500 HD / 120 SSD ou contribuir em dinheiro. O benefício será concedido por meio de bolsa no valor de R$ 1,5 mil depositado na conta do estudante assistido.

Os depósitos de qualquer valor poderão ser feitos em contas correntes da Fump: 
Banco do Brasil
Agência: 1615-2, conta corrente 22.942-3. CNPJ da Fump: 17.220.583.0001-69

Santander
Agência 4546, conta corrente 13.004008-3. CNPJ da Fump: 17.220.583.0001-69
 

Saiba mais

De acordo com a Assessoria de Comunicação da UFMG, as chamadas de acesso à internet e a equipamentos de informática tiveram por base os resultados de consultas feitas a estudantes de graduação e pós-graduação, para identificar as condições de acesso remoto e de estudos fora do ambiente acadêmico. 
 
Na graduação, mais de 23 mil alunos participaram do levantamento, o que corresponde a 71,86% do número de estudantes ativos na instituição. Desse total, 12,9 mil estudantes são de ampla concorrência, e 9,7 mil, ingressantes pelo regime de reserva de vagas (cotas). Próximo a 28% dos estudantes não responderam ao formulário.
 
Dos graduandos que responderam à consulta, 19 mil declararam ter ótimas ou boas condições de acesso à Internet (82,29%). Outros 2,7 mil estudantes afirmaram ter condições razoáveis (11,72%), e 1,3 mil (5,99%) indicaram que suas condições são precárias.Participaram da consulta mais de 23 mil alunos, o que corresponde a 71,86% dos estudantes ativos da graduação. 
 
Na pós-graduação, quase cinco mil pessoas responderam ao formulário (2.481 mestrandos e 2.456 doutorandos), o que representa 51% do universo de estudantes ativos na UFMG nesse nível de ensino. Mais de 2,2 mil mestrandos afirmaram ter ótimas ou boas condições de acesso à Internet (89,82%), enquanto 153 disseram ter condições razoáveis (6,17%) e 121 declararam ter condições precárias (4,36%).
 
Entre os doutorandos, o índice daqueles que afirmaram ter ótimas ou boas condições de acesso à internet chega a 90,84% (2.231 estudantes). Outros 118 estudantes declararam ter condições razoáveis (4,81%), e 107 disseram ter condições precárias (4,36%).


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade