Publicidade

Estado de Minas

Museu de História Natural da UFMG é atingido por incêndio

Segundo os bombeiros, fogo começou nesta manhã e já foi controlado. Não há feridos


postado em 15/06/2020 08:39 / atualizado em 15/06/2020 13:03

Ver galeria . 13 Fotos O fogo destruiu um dos espaços do Museu de História Natural e Jardim Botânico da UFMG na manhã desta segunda-feira, 15 de junhoCorpo de Bombeiros/Divulgação
O fogo destruiu um dos espaços do Museu de História Natural e Jardim Botânico da UFMG na manhã desta segunda-feira, 15 de junho (foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação )


Um incêndio atingiu parte do Museu de História Natural e Jardim Botânico da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) no início da manhã desta segunda-feira. A informação é do Corpo de Bombeiros. 

O museu fica no Bairro Horto, Região Leste de Belo Horizonte. Segundo a corporação, o fogo começou por volta das 6h25. Por telefone, a testemunha pediu ajuda para apagar as chamas, que já tinham atingido o telhado. 

“Segundo o segurança, no turno das 5h ele fez uma ronda e não tinha incêndio. Às 5h30 ele ouviu o barulho do vidro de uma das janelas estourando e percebeu que o incêndio tinha dado início. A chamada chegou para os bombeiros por volta das 6h e a viatura deslocou imediatamente”, explicou o tenente Lobo, do Corpo de Bombeiros.
 
Museu fica no Bairro Horto, Região Leste de Belo Horizonte(foto: Edésio Ferreira/EM/DA Press)
Museu fica no Bairro Horto, Região Leste de Belo Horizonte (foto: Edésio Ferreira/EM/DA Press)
 

“O combate às chamas durou em torno de 30 minutos no prédio da reserva técnica do museu e foram atingidos os setores A, B, e C. No momento estamos fazendo rescaldo que tem que ser cuidadoso para preservar o material do museu e a Polícia Civil foi acionada”, detalhou o militar. Segundo ele, o local conta com material de prevenção de incêndio e as causas serão apuradas posteriormente. 



A diretora pro tempore do museu, Mariana de Oliveira Lacerda, disse que as chamas atingiram uma das salas que abriga a reserva técnica. Essas peças não ficam em exposição e são manipuladas por pesquisadores. Ela informou que aguarda a perícia da Polícia Civil para entender as causas do incêndio. Nesta manhã, Mariana também informou à imprensa que o prédio atingido tem monitoramento, detecção de fumaça e teve a fiação trocada em 2013. 

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade