Publicidade

Estado de Minas BOM DESPACHO

Casos de pacientes que descumpriram isolamento são encaminhados ao MP

Segundo o comitê de enfrentamento de Bom Despacho, os pacientes poderão responder criminalmente por colocarem em risco a saúde da população


postado em 03/06/2020 15:12 / atualizado em 03/06/2020 16:00

Reunião entre o presidente do Comitê de Enfrentamento da COVID-19, PM e a secretária de Saúde(foto: Divulgação/ Prefeitura de Bom Despacho)
Reunião entre o presidente do Comitê de Enfrentamento da COVID-19, PM e a secretária de Saúde (foto: Divulgação/ Prefeitura de Bom Despacho)
O Comitê de Enfrentamento da pandemia da COVID-19 em Bom Despacho, município da Região Centro-Oeste do estado, enviou, na tarde desta quarta-feira (3), para o Ministério Público 10 ocorrências de pacientes contaminados ou com suspeita de terem contraído o novo coronavírus (Sars-Cov-2) que descumpriram o isolamento domiciliar. Segundo o comitê, os pacientes poderão responder criminalmente por colocarem em risco a saúde do restante da população.

Na tarde dessa terça-feira (2), o presidente do Comitê, Humberto Pinto de Paula e Silva, se reuniu com a secretária da Saúde, Neide Braga, e com a Polícia Militar para tratar das medidas de intensificação da fiscalização do isolamento social na cidade, devido ao aumento do número de casos da doença na última semana. No encontro, a equipe da Secretaria Municipal de Saúde registrou junto à PM essas ocorrências de descumprimento do isolamento domiciliar e enviou para o MP.

De acordo com o gerente de Epidemiologia do município, Fernando Júnior, as pessoas que desobedeceram as medidas protetivas da Saúde “poderão responder criminalmente por atentar contra a saúde da população”. 

“Cumprir o isolamento e informar a verdade é importantíssimo para que a equipe de monitoramento da Saúde consiga acompanhar todas as pessoas suspeitas e que tiveram contato com elas. Só assim é possível controlar a situação do vírus na cidade”, alertou.

Segundo o comitê, assim que são notificados que estão com o vírus no corpo, os pacientes assinam um documento onde se comprometem a ficar isolados. Nesse mesmo documento, eles informam com quais pessoas tiveram contato e, posteriormente, essas pessoas também serão monitoradas pela Secretaria de Saúde. Mas, quando o paciente não cumpre o isolamento e não dá detalhes de com quem teve contato, os responsáveis pelo monitoramento não sabem quem deve ser inspecionado.

“Sem monitoramento, a transmissão do coronavírus pode acelerar descontroladamente. Além disso, é impossível acompanhar e planejar ações de combate. Sem acompanhamento e planejamento, o sistema de saúde poderá ficar sobrecarregado”, afirmou em nota o Comitê.

“Boom” da COVID-19 

Em Bom Despacho, eram registrados 12 casos da doença em 25 de maio, mas, devido à flexibilização do comércio, o número de infectados na cidade cresceu 158%. De acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela prefeitura, na manhã desta quarta-feira, já são 31 casos testados positivos para a doença e um óbito. Além das confirmações, outros 48 estão sendo monitorados pela Secretaria de Saúde e, até o momento, foram 319 notificações.

Os números apresentados pela prefeitura ainda não foram contabilizados pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG). Segundo o informe epidemiológico do órgão, Bom Despacho registra apenas 10 casos positivos e uma morte. 
 
*Estagiário sob supervisão da editora Liliane Corrêa

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade