Publicidade

Estado de Minas EPCAR

Força Aérea Brasileira tem 90 infectados por COVID-19 em escola de Barbacena

Segundo a instituição, todos os militares com suspeita de exposição estão isolados


postado em 23/05/2020 17:52 / atualizado em 23/05/2020 19:06

EPCAR estabeleceu um cronograma de testagem em todos os alunos e militares(foto: Divulgação/Escola Preparatória de Cadetes do Ar)
EPCAR estabeleceu um cronograma de testagem em todos os alunos e militares (foto: Divulgação/Escola Preparatória de Cadetes do Ar)


Matéria atualizada às 19h06

A Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR) – instituição de ensino da Força Aérea Brasileira com 507 alunos cadetes – registrou 90 infectados por coronavírus (COVID-19). Em nota, a informação foi confirmada pela assessoria da Aeronáutica, neste sábado (23).
 

De acordo com os registros da Diretoria de Saúde da Aeronáutica, 90 integrantes testaram positivo para o novo coronavírus. Desses, seis integrantes apresentam sintomas leves, estando o restante com o quadro assintomático.

Segundo a instituição, todos os militares com suspeita de exposição à COVID-19 estão isolados e recebem tratamento.

Com expectativa de liberação para as férias – por um período de três semanas – a EPCAR estabeleceu um cronograma de testagem em todos os alunos e militares. A liberação será feita por turmas e em dias diferentes, com início neste domingo, 24.

A primeira confirmação de COVID-19 foi em 14 de maio e o aluno já está curado. Desde então, segundo a EPCAR, as famílias estão sendo informadas dos casos confirmados, bem como das medidas adotadas. As visitas estão suspensas desde o dia 19 de março.

Denúncia ao Ministério Público


Por ter alunos com idade abaixo de 18 anos, uma denúncia anônima foi formalizada ao Conselho Tutelar da cidade, no dia 15 do mês passado, relatando sobre como a EPCAR conduzia a situação com seus alunos frente à pandemia.

De acordo com Renata Chaves Batista, presidente do Conselho Tutelar de Barbacena, na denúncia a pessoa alertava sobre a situação de risco de infecção dos mais de 500 alunos, já que estariam aquartelados, sem o distanciamento social recomendado. Além disso, há relatos que, mesmo durante a pandemia, a EPCAR mantinha as atividades de gincanas e que as aulas presenciais teriam retornado no dia 6 de abril.

Ainda segundo a denúncia, as aulas eram ministradas por professores militares que também tinham contato com familiares; o que poderia acarretar risco de contágio por COVID-19.

Segundo a conselheira tutelar, após a primeira denúncia, outros pais entraram em contato pedindo providências, pois só conversavam com os filhos via telefone.

Diante disso, o Conselho Tutelar apresentou denúncia ao Ministério Público Federal (MPF), requisitando providências. Logo após, o MPF determinou inspeção sanitária na EPCAR, no dia 12 de maio, juntamente com profissionais da vigilância sanitária municipal.

Inspeção 

Durante inspeção, constatou-se que não havia espaçamento de segurança entre os alunos e falta de álcool em gel em salas de aula e alojamentos. Em resposta, a EPCAR justificou que a higienização era feita com água e sabão, de acordo com recomendação da vigilância sanitária. 

Outro ponto verificado em inspeção é que alunos com síndrome gripal eram retirados de seus respectivos alojamentos – com ocupação de até 160 alunos – e eram levados para apartamentos onde ficavam isolados.

Ainda durante a inspeção, verificou-se que professores civis lecionavam através de vídeo aulas e, mas os professores militares davam aulas de forma presencial. O fato despertou preocupação, pois, segundo a vigilância sanitária, se algum aluno fosse contaminado, rapidamente o vírus poderia se espalhar e contaminar outros militares, além de causar um possível colapso no sistema de saúde municipal.

Em resposta, a EPCAR afirma que tem realizado esforços no combate ao coronavírus, desde que o Ministério da Saúde reportou os primeiros casos no Brasil. Ainda em nota, a escola ressalta que readequou as atividades escolares e implementou procedimentos de prevenção alinhados aos protocolos do Ministério da Saúde.

Após inspeção, o relatório foi encaminhamos ao Ministério Público Federal para análise.

MPF recomenda suspensão imediata de todas as atividades 

Em resposta ao relatório, o Ministério Público Federal recomendou suspensão imediata de todas as aulas e demais atividades acadêmicas presenciais na EPCAR.

A recomendação foi direcionada ao diretor de Ensino da Aeronáutica (Direns), major-brigadeiro do Ar Marcos Vinícius Rezende Mrad, e ao comandante da Escola Preparatória de Cadetes do Ar (Epcar), brigadeiro do Ar Paulo Ricardo da Silva Mendes. Aos dirigentes, também foi recomendado que autorizem a saída de todos os alunos, sem aplicação de penalidades.

Boletim epidemiológico

Conforme boletim epidemiológico da Secretaria Estado de Saúde de Minas Gerais, Barbacena, com população de 107 mil habitantes, registra 38 casos de coronavírus e 4 mortes.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade