Publicidade

Estado de Minas

Empresa têxtil vai doar 900 mil kits com máscaras contra o coronavírus em Montes Claros

Coteminas vai priorizar empregados da indústria e familiares, além de profissionais de hospitais e serviços de saúde


postado em 08/04/2020 11:31 / atualizado em 08/04/2020 11:45

Comércio fechado no Centro de Montes Claros. Apenas farmácia, serviço essencial, continua aberta(foto: Luiz Ribeiro/EM/DA Press)
Comércio fechado no Centro de Montes Claros. Apenas farmácia, serviço essencial, continua aberta (foto: Luiz Ribeiro/EM/DA Press)


A Coteminas, maior conglomerado têxtil do país, vai doar 900 mil kits de máscaras para o uso de moradores e profissionais de saúde de Montes Claros (404 mil habitantes), no Norte de Minas, na proteção contra a transmissão do coronavírus (COVID-19). O anúncio foi feito pelo presidente do grupo têxtil, Josué Alencar, em entrevista ao Estado de Minas.

Nesta terça-feira, passou a vigorar em Montes Claros o decreto do prefeito Humberto Souto (Cidadania), que recomenda que todos os moradores usem, fora de casa, máscaras para proteção do rosto diante da pandemia. O decreto foi assinado na segunda-feira à noite. 

A decisão da prefeitura segue nota informativa do Ministério da Saúde publicada no sábado. O documento pede para que a população produza suas próprias máscaras usando, primordialmente, tecido de saco de aspirador. 

Josué Alencar informou ao EM que a Coteminas adquiriu da China uma máquina voltada exclusivamente para a produção das máscaras cirúrgicas. Para romper as dificuldades de logística, informou o empresário, a companhia vai providenciar a busca do equipamento no país asiático por transporte aéreo. A previsão é que o maquinário chegue ao Brasil no final da próxima semana.

De acordo com o presidente da Coteminas, a produção de máscaras será destinada, prioritariamente, ao fornecimento para os empregados do grupo têxtil seus familiares e também para as doações aos profissionais de hospitais e de outros serviços de saúde das cidades onde a empresa tem fábricas. A empresa têxtil tem cerca de 10 mil colaborares em 11 fábricas, instaladas em nove cidades brasileiras.

“O nosso objetivo é colaborar para a prevenção de nossos funcionários e de suas famílias e também dos bravos trabalhadores da saúde”, afirmou Alencar. 

A máquina importada da China terá a capacidade para a produzir em torno de 3 a 5 milhões de máscaras por mês. O equipamento será instalado em uma fábrica da companhia em Blumenau (SC), onde existe o fornecedor do material apropriado para as máscaras cirúrgicas. “Serão fabricadas máscaras bem acabadas, com o material apropriado e dentro do padrão que é exigido pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) ”, disse o presidente da Coteminas.

Ele salientou que, sem a chegada do equipamento da China, a Coteminas fabrica os kits das máscaras, mas ainda não consegue produzir o produto acabado (costurado). Por isso, em entendimento com o prefeito Humberto Souto, tendo em vista a necessidade imediata da proteção das pessoas contra a transmissão do coronavírus, ficou acertado que a indústria vai fazer a doação dos kits. 

O presidente da Coteminas disse que, neste caso, competirá a prefeitura providenciar o acabamento das máscaras. “Mas, como o material é feito de tecido, é muito fácil a costura das máscaras. As próprias pessoas poderão fazer este acabamento”, ressaltou Josué Alencar. 

A Coteminas conta três unidades e cerca de 3 mil funcionários em Montes Claros,  onde a empresa foi fundada, em 1967, pelo ex-vice-presidente da República José Alencar Gomes da Silva (1931-2011) e pelo empresário e ex-deputado Luiz de Paula Ferreira (1917-2017).


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade