Publicidade

Estado de Minas

Operação de combate à violência doméstica prende 62 homens em Minas

Durante 32 cumprimentos de mandados de busca e apreensão foram apreendidas seis armas de fogo que seriam utilizadas para ameaçar vítimas


postado em 05/03/2020 16:29 / atualizado em 05/03/2020 17:51

Detalhes foram repassados por Carla Cristina Oliveira Vidal, chefe do Departamento de Investigação, Orientação e Proteção à Família e delegada Isabella Franca, chefe da Divisão Especializada em Atendimento à Mulher, ao Idoso e à Pessoa com Deficiência e Vítimas de Intolerâncias(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Detalhes foram repassados por Carla Cristina Oliveira Vidal, chefe do Departamento de Investigação, Orientação e Proteção à Família e delegada Isabella Franca, chefe da Divisão Especializada em Atendimento à Mulher, ao Idoso e à Pessoa com Deficiência e Vítimas de Intolerâncias (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)

Sessenta e dois homens foram presos nesta quinta-feira durante a Operação Marias II. A ação, em combate à violência contra a mulher em Minas Gerais, também cumpriu 32 mandados de busca e apreensão no estado. Entre os presos estão os suspeitos de ameaças, tentativas de feminicídio, lesão corporal, descumprimentos de medidas protetivas, estupro, importunação, entre outros crimes.

Na Região Metropolitana de Belo Horizonte foram realizadas 13 prisões e 50 visitas tranquilizadoras. Seis armas de fogo que, segundo a Polícia Civil, eram utilizadas para ameaçar as vítimas, foram apreendidas. Três delas foram na capital.

Em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, a operação ocorre simultaneamente em outros 18 estados do Brasil e Distrito Federal como resultado das ações do Fórum Permanente de Enfrentamento à Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher do Conselho Nacional dos Chefes de Polícia Civil.

Em todo território mineiro, mais de 700 policiais participaram da operação, que contou ainda com 485 visitas tranquilizadoras. “A gente prioriza locais que já foram descumpridas medidas protetivas. Geralmente a visita é em locais onde as vítimas moram, com objetivo de verificar se há novo descumprimento”, explicou Carla Cristina Oliveira Vidal, chefe do Departamento de Investigação, Orientação e Proteção à Família.

Essa é a segunda fase da operação. Em novembro do ano passado, a primeira etapa foi realizada em 108 municípios com saldo de 83 prisões. “O objetivo é de trazer uma tranquilidade melhor para as mulheres e uma responsabilização dos agressores”, informou a delegada Isabella Franca, chefe da Divisão Especializada em Atendimento à Mulher, ao Idoso e à Pessoa com Deficiência e Vítimas de Intolerâncias.

Ainda segundo a delegada, a tendência é continuar com tais ações. “A Polícia Civil está trabalhando 24 horas por dia. Além da gente estar cumprindo esses mandados é uma forma pedagógica de mostrar que estamos combatendo o crime”, ressaltou Vidal.

"Marias” faz referência à Maria da Penha Maia Fernandes, vítima de violência doméstica referência na luta em defesa dos direitos das mulheres. Sua identidade inspirou o nome da lei “Maria da Penha”.

Operação Marias II em Minas

  • 772 policiais
  • 259 viaturas
  • 485 visitas tranquilizadoras
  • 62 prisões efetivadas
  • 32 cumprimentos de mandados de busca e apreensão
  • 6 armas de fogo apreendidas


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade