Publicidade

Estado de Minas

Chega a 47 número de mortes por chuvas em Minas Gerais

Governo estadual decreta situação de emergência em 101 municípios


postado em 27/01/2020 19:26 / atualizado em 27/01/2020 20:53

(foto: Jair Amaral/EM.DA.Press)
(foto: Jair Amaral/EM.DA.Press)
Saltou para 47 o número de mortes decorrentes das chuvas de quinta a segunda-feira, em Minas Gerais. Os números são confirmados por meio de um novo boletim divulgado pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) no início da noite desta segunda-feira. Outras quatro pessoas continuam desaparecidas, todas no interior do estado. A queda no número de desaparecidos, de 19 para quatro, significa que 13 pessoas fizeram contato e foram localizadas com vida. Mas, outras duas engrossaram o número de mortos em decorrência dos temporais.
 
A maioria das mortes está concentrada na Grande BH: 13 em Belo Horizonte, seis em Betim, cinco em Ibirité e dois em Contagem. No interior, os óbitos estão listados em 11 municípios da Zona da Mata mineira: Alto Caparaó (quatro), Alto Jequitibá (três), Carangola (uma), Divino (uma), Luisburgo (duas), Manhuaçu (uma), Pedra Bonita (três), Santa Margarida (um), Tocantins (um) e Simonésia (três).

Também foi confirmado o óbito da criança de dois anos após ser soterrada em Olhos D'Água. Ainda de acordo com o balanço da Defesa Civil estadual, 17.935 pessoas estão fora de suas casas em Minas: desalojadas (7.079 na Grande BH e 7.530 no interior) e 3.386 desabrigadas (1.092 na RMBH e 2.294 no interior). Além disso, 65 pessoas ficaram feridas no estado – 54 na Grande BH e outros seis no interior.
 
Na corrida para ajudar as cidades, decreto do governo estadual, que foi publicado na manhã desta segunda-feira, reconheceu situação de emergência em 101 municípios. Hoje, a Defesa Civil do estado informou que Diamantina e Nova Era entraram na lista. Desde de outubro do ano passado, 121 municípios decretaram emergência.

Já Carangola (Zona da Mata) e Orizânia (Zona da Mata) e Ibirité (Grande BH) decretaram estado de calamidade.

Configura-se situação de emergência quando ocorre a alteração intensa e grave das condições de normalidade comprometendo parcialmente a capacidade de resposta. Já é decretado calamidade pública ocorre quando há alteração intensa e grave das condições de normalidade comprometendo substancialmente a capacidade de resposta.

Os decretos facilitam a transferência de recursos do governo federal para reparos e a entrega de doações – como colchões, cobertores, travesseiros e alimentos – recolhidas pelo Executivo estadual. Domingo, o governo federal garantiu que tem R$ 90 milhões para atender aos estados atingidos pelas enchentes.
 
Ao mesmo tempo que levantam os prejuízos, as autoridades pedem doações para ajudar as pessoas afetadas pelos temporais. As ajudas podem ser entregues em qualquer batalhão do Corpo de Bombeiros ou da Polícia Militar e no Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), localizado na Avenida Cristóvão Colombo, 683 – Bairro Funcionários (Região Centro-Sul de BH).
 


Publicidade