Publicidade

Estado de Minas

Após chuvas e alagamentos, moradores da Tereza Cristina manifestam por limpeza

Moradores queimaram objetos para pedir limpeza das ruas e retirada do lixo


postado em 27/01/2020 16:00 / atualizado em 27/01/2020 16:44

Polícia Militar esteve no local onde manifestantes queimaram objetos(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A. Press)
Polícia Militar esteve no local onde manifestantes queimaram objetos (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A. Press)

A semana começou difícil para moradores no entorno da Avenida Tereza Cristina. Após as chuvas que atingiram Belo Horizonte e região metropolitana nos últimos dias, o que restou foi sujeira e estragos.


Eles manifestaram no cruzamento com Avenida Dom João VI, altura do Bairro Betânia, na Região Oeste da capital.

Comerciante limpa local de trabalho após enchentes(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A. Press)
Comerciante limpa local de trabalho após enchentes (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A. Press)


Militares do 5º Batalhão de Polícia Militar estiveram no local. Segundo os policiais, a população chegou a colocar fogo em objetos, porém, com o início da chuva, as chamas foram apagadas e os moradores dispersos.

Em resposta à reportagem do Estao de Minas, a Superintendência de Limpeza Urbana (SLU) informou que faz a limpeza da Avenida Tereza Cristina diariamente desde a noite do dia 19 – domingo, data da primeira chuva forte. "Além disso, a SLU também está limpando as vias adjacentes à avenida: rua Amanda, rua B1, rua A1, rua Divisa Nova, rua Magi Salomon, rua Carlos Quadros, rua Eliseu Resende, rua Carmelita Silva, rua Amanda, rua Santo Antônio do Amparo e também a rua Úrsula Paulino, na altura do Córrego Cercadinho", informou em nota.

Nível do Rio Arrudas no início da tarde desta segunda-feira(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A. Press)
Nível do Rio Arrudas no início da tarde desta segunda-feira (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A. Press)
 
"A SLU já recolheu nestes locais, em virtude das chuvas, no período de 19 a 26 de janeiro, cerca de 775 toneladas, o que corresponde a 155 caminhões básculas cheios. Os resíduos recolhidos pela SLU são principalmente lama, objetos descartados pela população e capim. A SLU continua pelos próximos dias a limpeza da via. Já a Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap) contribui na limpeza da avenida Tereza Cristina com a remoção das placas de asfalto danificado pelas fortes chuvas, com o manuseio de hidrojatos que fazem a limpeza mais "fina" das pistas, além do recolhimento de galhos de árvores e limpeza de bocas de lobo", acrescenta o texto.


Publicidade