Publicidade

Estado de Minas

Polícia Civil faz busca e apreensão em fornecedora de monoetilenoglicol da Backer

Perícia do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) encontrou as substâncias tóxicas monoetilenoglicol e dietilenoglicol na água usada na produção da cervejaria


postado em 16/01/2020 16:06 / atualizado em 16/01/2020 18:29

O delegado Flávio Grossi informou que foram recolhidos documentos e produtos na indústria química(foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)
O delegado Flávio Grossi informou que foram recolhidos documentos e produtos na indústria química (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)


A Polícia Civil cumpre mandado de busca e apreensão em uma distribuidora que fornece o monoetilenoglicol para a cervejaria Backer, em Belo Horizonte. A empresa fiscalizada fica em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

A perícia do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) encontrou as substâncias tóxicas monoetilenoglicol e dietilenoglicol na água usada na produção da cervejaria Backer, na capital mineira.

“Estamos recolhendo amostras e documentos, dando continuidade à operação. São produtos que envolvem toda a cadeia produtiva”, afirma o delegado titular das investigações, Flávio Grossi. Ele não afirmou, entretanto, se foi encontrado o dietilenoglicol na fábrica fornecedora.

O resultado aumenta a suspeita de que outros rótulos da empresa possam estar contaminados, e não somente a cerveja Belorizontina, associada à intoxicação de pelo menos 17 pessoas com a síndrome nefroneural e dois óbitos, um deles ontem, na capital mineira.

Há três hipóteses em investigação: sabotagem, vazamento e uso inadequado das moléculas de monoetilenoglicol no processo de refrigeração do sistema.

Ainda não há resultados das análises das outras marcas produzidas pela Backer, mas o Mapa identificou sete lotes de Belorizontina contaminados – um deles com o rótulo Capixaba, nome dado à cerveja distribuída no Espírito Santo.

A inspeção do órgão federal também constatou os agentes químicos em mais de um dos 70 tanques usados na fabricação das cervejas. Na terça-feira, a empresa informou que apenas o tanque 10 teria sido lacrado.


Publicidade