Publicidade

Estado de Minas INTOXICAÇÃO

Procon aconselha consumidores a não beberem cerveja Belorizontina de lotes intoxicados

Órgão entende que análise da Polícia Civil indica intoxicação provocada pela bebida


postado em 09/01/2020 21:22 / atualizado em 09/01/2020 22:12

Procon também pediu para que os consumidores, se possível, entreguem essas cervejas às autoridades(foto: Túlio Santos/EM/D. A. Press)
Procon também pediu para que os consumidores, se possível, entreguem essas cervejas às autoridades (foto: Túlio Santos/EM/D. A. Press)
O Programa Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) aconselhou, embasado em um laudo da Polícia Civil divulgado na noite desta quinta-feira, que consumidores que tenham os lotes L1 1348 e L2 1348 da marca de cerveja Belorizontina, produzida pela Backer, não as bebam. As investigações da corporação atestaram positivo para dietilenoglicol. Segundo o órgão, a substância no produto tem a ver com problemas de intoxicação envolvendo oito pessoas em Belo Horizonte, sendo uma delas vítima fatal.
 
“O Ministério Público tem acompanhado essa situação, porque ela é grave. Os consumidores estão expostos a riscos. É importante que, dessas pessoas que estão hospitalizadas, há um elemento comum do consumo nas primeiras informações, que seria o consumo dessa cerveja Belorizontina. Ao visitar dois pacientes, houve a coleta de amostras dessa cerveja, e essas análises deram positivo para dietilenoglicol, que é uma substância utilizada no processo de refrigeração da cerveja na sua produção, em serpentinas. Essa análise, pelo que se viu das investigações, é compatível com os problemas que sofreram”, disse Amauri da Matta, promotor de Justiça do Procon estadual.
 
O Procon também pediu para que os consumidores, se possível, entreguem essas cervejas às autoridades. “Os consumidores que tenham essa cerveja nas suas residências devem verificar esse lote e não consumir. Se possível, disponibilizar esses lotes para as investigações”.
 
Das oito vítimas da intoxicação, todas envolvendo a ingestão da bebida no Bairro Buritis, Região Oeste de Belo Horizonte, uma morreu na noite da última terça-feira. Morador da cidade de Ubá, na Zona da Mata, Paschoal Demartini Filho, de 55 anos, estava internado em Juiz de Fora, também na Zona da Mata, com quadro de insuficiência renal e problemas neurológicos.
 
Paschoal passou o Natal na casa da filha, no Buritis. Luiz Felippe Teles Ribeiro, de 37 anos, genro da vítima que faleceu na terça, também passou o Natal com a família e apresentou os mesmos sintomas que Paschoal e teve de ser internado em BH. Os outros seis pacientes com a intoxicação, que vinha sendo tratada como alguma “doença misteriosa”, não têm ligação com o caso dos dois parentes.
 
A Backer informou que os lotes em questão - L1 1348 e L2 1348 - citados pela Polícia Civil, e recolhidos na residência dos consumidores citados, serão retirados imediatamente de circulação, caso ainda haja algum remanescente no mercado.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade