Publicidade

Estado de Minas MAIS RESISTÊNCIA

SUS vacinará população com baixa imunidade contra doenças pneumocócicas

Imunizante protege contra 13 sorotipos da bactéria e será oferecido gratuitamente para pacientes oncológicos, portadores de HIV e transplantados


postado em 04/10/2019 06:00 / atualizado em 08/10/2019 14:16

Segundo Lúcia Paixão, da Vigilância Epidemiológica municipal, falta definir total de doses a serem recebidas(foto: Edésio Ferreira/EM/DA Press - 19/1/18)
Segundo Lúcia Paixão, da Vigilância Epidemiológica municipal, falta definir total de doses a serem recebidas (foto: Edésio Ferreira/EM/DA Press - 19/1/18)


Pacientes oncológicos, portadores de HIV e transplantados terão acesso no sistema público de saúde a vacina que previne contra doenças pneumocócicas (como pneumonia, meningite e septicemia) causadas pelos 13 sorotipos de pneumococo mais prevalentes em todo o mundo. A distribuição da Pneumocócica conjugada 13 valente pelo Sistema Único de Saúde (SUS) começa a ser feita neste mês aos Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais (Crie) do país. Em Belo Horizonte, a Secretaria Municipal de Saúde faz levantamento da quantidade de doses que serão necessárias.

A vacina, até então disponível apenas na rede particular ao custo de aproximadamente R$ 300, vai beneficiar pacientes imunossuprimidos (com comprometimento do sistema imunológico), a partir de 5 anos de idade. É um grupo de alto risco que, na comparação com indivíduos saudáveis, tem um risco potencializado para desenvolvimento de pneumonia e doenças pneumocócicas invasivas.

De acordo com o laboratório que produz o medicamento, em portadores de HIV, por exemplo, a diminuição da capacidade das células de defesa provocada pelo vírus faz com que o paciente apresente um risco para doenças pneumocócicas graves até 100 vezes maior em relação a pessoas sem essa condição. O uso de imunossupressores, ministrados para evitar rejeição em pacientes transplantados, também pode interferir na capacidade imunológica.

A diretora de Promoção à Saúde e Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde, Lúcia Paixão, ressalta que a vacina protege não apenas contra pneumonias, mas também meningites e infecções do sistema nervoso central. “É uma excelente vacina para proteger as pessoas de doenças por pneumococo. É um ganho muito grande, mas neste primeiro momento estará disponível apenas para esse público”, avisa. A secretaria está fazendo o levantamento da quantidade de pacientes atendidos no Crie para verificar o total de doses a serem recebidas.

O centro para Imunobiológicos é voltado para pacientes com HIV, transplantados de medula óssea e de órgãos sólidos e oncológicos. Na capital, localizado na Rua Paraíba, no Bairro Funcionários, Região Centro-Sul, ele atende moradores de BH e da região metropolitana. Médicos de pacientes nessas condições fazem relatório e encaminham para o Crie, onde o especialista confirma o diagnóstico e faz o calendário vacinal do doente de acordo com o que ele precisa. O tratamento com a pneumocócica conjugada 13 valente é feito em dose única e tem sequência com a pneumocócica 23, aplicada seis meses depois e já disponibilizada no calendário nacional de imunização.

A Secretaria de Estado de Saúde informou, por meio de nota, que a inclusão da vacina pneumocócica 13 valente "é um grande avanço para a saúde pública brasileira, visto que irá proteger os indivíduos pertencentes aos grupos prioritários atendidos no Centro de Referência de Imunobiológicos Especiais (CRIE) contra doenças invasivas causadas por Streptococcus  pneumoniae sorotipos 1, 3, 4, 5, 6A, 6B, 7F, 9V, 14, 18C, 19A, 19F e 23F e das frequentes graves sequelas deixadas pelas doenças pneumocócicas".


Publicidade