Publicidade

Estado de Minas

Padre é afastado por 'comportamento moral impróprio e escandaloso'

Supostas mensagens picantes trocadas entre o sacerdote e um homem casado em Pitangui, no Centro-Oeste, viralizaram nas redes sociais


postado em 19/09/2019 19:33 / atualizado em 20/09/2019 07:42

Trecho da conversa pelo WhatsApp entre o sacerdote e o suposto amante(foto: Reprodução/Redes sociais)
Trecho da conversa pelo WhatsApp entre o sacerdote e o suposto amante (foto: Reprodução/Redes sociais)
A Diocese de Divinópolis, na Região Centro-Oeste de Minas, afastou o padre Cléver Geraldo de Sousa por “comportamento moral impróprio e escandaloso a um clérigo”. O decreto administrativo assinado pelo bispo dom José Carlos foi publicado nesta quinta-feira (19).

O padre que era vigário, em Pitangui, na mesma região, está impedido de celebrar a eucaristia, inclusive no privado; de exercer quaisquer outros atos ministeriais, como batizar, ouvir confissões e ungir os enfermos, exceto em perigo de morte; e de morar no apartamento dele, em Divinópolis.

No decreto, o bispo classifica as sanções como “penas medicinais”, “na expectativa de que a verdade venha à tona e o revmo. sr. Padre Cléver Geraldo de Sousa possa ser readmitido ao exercício do ministério, podendo essas penas serem retiradas e, tão só expressamente, assim que as acusações forem devidamente apuradas”. (leia abaixo o decreto na íntegra) 

Detalhes do caso que levaram ao afastamento do sacerdote não foram divulgados pela Diocese. No documento, dom José Carlos limita-se a dizer que o fato ocorreu em Pitangui.

Mensagens viralizaram nas redes sociais

Ao longo dos últimos dias, prints de uma suposta conversa erótica entre o padre e um homem casado, em Pitangui, viralizaram nas redes sociais. Neles, o padre convida, supostamente, o homem para ir ao motel e ter relações sexuais. 

Durante a troca de mensagens em tom picante, o homem escreve: "Tô subindo pelas paredes". Em outro momento, o sacerdote pede que o suposto amante deixe a mulher. "Padre, isso não é pecado? Eu sou casado e você é um padre", responde o homem. O sacerdote, então, retruca: "Casado não é capado". 

O homem teria ainda indagado ao sacerdote sobre a sexualidade dele e se outros integrantes da igreja tinham conhecimento de que ele “é gay”. As mensagens foram flagradas pela esposa do homem. No último print divulgado, ao comunicar que ela tinha lido a conversa, o padre pergunta: “que mensagem?”. 

As mensagens trocadas pelos dois pelo WhatsApp viralizaram com um suposto desabafo da esposa. Ela se identifica como católica, mas diz estar perdendo “a confiança na Igreja” e relata o ocorrido. Diz, ainda, que o filho dela resolveu divulgar para “alertar as mulheres casadas”.

Outra polêmica

Em 2017, o padre se envolveu em uma ocorrência policial. Na época, foi informado pela Polícia Militar Rodoviária que ele foi encontrado ferido em um quarto de motel, na MG-050, em Divinópolis. A Diocese chegou a se manifestar por meio de nota em apoio ao sacerdote que era administrador paroquial de São Sebastião do Oeste.

A reportagem não conseguiu contato com padre. A diocese informou, porém, que ele não está autorizado a falar sobre o assunto.
 
 
No decreto, o bispo classifica as sanções como 'penas medicinais' e afirma que o caso está sendo apurado (foto: Reprodução)
No decreto, o bispo classifica as sanções como 'penas medicinais' e afirma que o caso está sendo apurado (foto: Reprodução)
 
(Amanda Quintiliano)


Publicidade