Publicidade

Estado de Minas

Diocese de Araçuaí divulga nota sobre padre preso por suspeita de abuso sexual

Texto cita a posição do Papa Francisco em defesa da proteção da criança e do adolescente


postado em 12/11/2019 19:00 / atualizado em 12/11/2019 21:34

Deve ser transferido para uma unidade prisional de Minas Gerais nos próximos dias o padre Paulo Barbosa, de 55 anos, que foi preso em Jaboticabal (SP), sob suspeita de abusar seuxalmente de um adolescente em Ponto dos Volantes, no Vale do Jequitinhonha. Na época da denúncia, em 2017, o religioso atuava na Paróquia de São Sebastião e de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, vinculada à Diocese de Araçuaí, na mesma região. Ele foi detido na sexta-feira passada (8).

Nesta terça-feira (12), o bispo de Araçuaí, Dom Marcelo Romano divulgou nota que diz que o caso também foi apurado no âmbito eclesiástico e que a igreja contribuiu com as autoridades. A nota também faz a referência à posição do papa Francisco “na  promoção da dignidade humana e a proteção da criança e do adolescente”. 

De acordo com o texto,  “em janeiro de 2017, a Diocese de Araçuaí recebeu denúncia de abuso sexual supostamente cometido pelo Padre Paulo Barbosa, até então pároco de Ponto dos Volantes”.  A nota informa também que dom Marcello, “após afastar o padre de suas funções, deu início ao processo de investigação prévia para esclarecer os fatos”. “O referido padre encontra-se desde então suspenso de ordem em todo território diocesano. Concluído o tempo de experiência missionária e pastoral na diocese de Araçuaí, retornou à diocese de Jaboticabal”,  diz o bispo de Araçuaí.

Divulgada pelo padre Carlos Magno Santana da Costa, chanceler do Bispado de Araçuaí,  a nota faz referência aos ensinamentos do Papa Francisco e informa que a Igreja está disposta a colaborar com as investigações. “A Igreja, à luz dos ensinamentos do Papa Francisco, vislumbra a promoção da dignidade humana e a proteção da criança e do adolescente, estando disposta a colaborar com as autoridades para elucidação dos fatos”, diz o texto. 

Nesta segunda-feira (11), o  Tribunal de Justiça de Minas Gerais  (TJMG)  confirmou a prisão do padre Paulo Barbosa, que foi detido no Centro de  Pastoral Nossa Senhora de Fátima, em Jaboticabal, onde estava morando.  O TJMG expediu a ordem de prisão preventiva no início deste mês, em atendimento a pedido do Ministério Público Estadual (MPMG). 

O Tribunal  não forneceu mais informações sobre o caso, tendo em vista que o processo tramita em segredo de justiça.  A reportagem tentou, mas não conseguiu localizar o advogado de defesa do acusado para ouvir sua versão. A defesa estaria preparando um recurso à Justiça, para suspender a prisão preventiva. 

De acordo com moradores de Ponto dos Volantes, o padre investigado pela suspeita de  abuso sexual nasceu em São Paulo e foi pároco na cidade por pouco mais de um ano. Ele foi ordenado em dezembro de 1993 e também já atuou em Bebedouro (SP) e no Tocantins. 

Em 2006, o mesmo sacerdote foi investigado por suspeita de abuso sexual, quando era pároco de uma igreja em Botafogo, distrito de Bebedouro (SP). Na época, em depoimento à Polícia Civil, um adolescente de 14 anos afirmou que manteve relações sexuais com o religioso. Outros seis menores disseram que o padre praticou   atos libidinosos com eles. 

Ele chegou a ser afastado das funções, mas voltou às atividades em 2008, após o processo ser arquivado na Justiça. Na sequência, o padre Paulo Barbosa foi transferido para a Diocese de Miracema, no Tocantins. Em 2012, foi feita a transferência para a Diocese de Araçuaí. Em dezembro de 2017, após a denúncia de abuso sexual, foi novamente afastado das funções na igreja e passou a morar no Centro de Pastoral Nossa Senhora de Fátima, em Jaboticabal. Ele está recolhido na Cadeia de Pradópolis (SP), aguardando a transferência para Minas Gerais.


Publicidade