Publicidade

Estado de Minas

Dez jovens são apreendidos por tráfico de drogas no Barreiro

A operação MBA, que está na 12ª fase, apreendeu 64 menores, que cometem atos infracionais, como tráfico, furtos, roubos e homicídios, desde 2017


postado em 21/08/2019 11:28 / atualizado em 21/08/2019 12:48

As delegadas Elyenni Celida e Elenice Cristina, chefe da Dopcad, e o delegado Felipe Carvalho.(foto: Jair Amaral/EM/DA PRESS)
As delegadas Elyenni Celida e Elenice Cristina, chefe da Dopcad, e o delegado Felipe Carvalho. (foto: Jair Amaral/EM/DA PRESS)
A Polícia Civil de Mina Gerais (PCMG) realizou, na manhã de terça (21), a Operação MBA-12 com o propósito de desmantelar tráfico de drogas realizado por jovens na região do Barreiro, em Belo Horizonte. "Focamos nossa operação de hoje na região do Barreiro. É uma região onde temos percebido a prática de muitos atos infracionais, com adolescentes envolvidos em vários delitos", afirmou a delegada Elenice Cristina Batista Ferreira, chefe da Divisão Especializada em Orientação e Proteção à Criança e ao Adolescente (Dopcad).
 
(foto: PCMG/Divulgação)
(foto: PCMG/Divulgação)
Segundo  a delegada, a região do Barreiro tem registrado altos índices de violência. "Focamos no cumprimento de mandados de prisão e apreensão de jovens envolvidos, basicamente, em tráficos de drogas, roubo e homicídio", disse. Trata-se da 12ª fase da operação MBA, que começou a ser realizada em 2017, com a apreensão até o momento de 64 jovens. 

As diligências para o cumprimeno dos mandados de busca e apreensão foram realizadas por seis equipes. "Tivemos o êxito no cumprimento de dez mandados de busca e apreensão de menores infratores, sendo sete rapazes e três meninas adolescentes", informou. A delegada informou que o grupo consta de jovens com idades entre 15 e 20 anos.

O jovem maior de idade está sendo punido por ato infracional cometido quando era menor de idade. "Os maiores estavam com mandado em aberto, justamente por conduta praticada quando menores. Agora ficaram maiores e terminam de responder como menorista. Os atos que praticarem como maiores já respondem com a legislação penal", informa.
 
 


Publicidade