Publicidade

Estado de Minas

Para reduzir fila de espera no SUS, mutirão realizará 200 cirurgias de hérnia

Além da equipe médica de cada hospital, também haverá a participação voluntária de cirurgiões convidados de outras regiões, que arcarão com os custos de viagem e hospedagem


postado em 05/08/2019 11:55 / atualizado em 05/08/2019 12:06

(foto: Pixabay)
(foto: Pixabay)


Com a meta de beneficiar centenas de cadastrados no SUS em todo o estado, começou nesta segunda-feira um mutirão de cirurgias para pacientes portadores de hérnias no abdome. A iniciativa, resultado de uma parceria entre o Hospital Universitário Ciências Médicas, a Sociedade Brasileira de Hérnia da Parede Abdominal (SBH) e a ONG Hérnia International, prossegue até o sábado (dia 10). Também serão realizadas cirurgias em Divinópolis e Ouro Preto.

Os procedimentos serão realizados em Belo Horizonte pelo Hospital Ciências Médicas e pelo Hospital São Francisco, também participante da parceria com a SBH. Cada uma das unidades ficará responsável por realizar 100 cirurgias, oferecendo toda a infraestrutura hospitalar necessária.

Além da equipe médica de cada hospital, também haverá a participação voluntária de cirurgiões convidados de outras regiões, que arcarão com os custos de viagem e hospedagem. “É uma missão voluntária e humanitária, que fará em uma semana o mesmo volume de procedimentos realizados em um ano nestas regiões”, destaca Christiano Clauss, presidente da SBH.

Diretor-geral do Hospital Ciências Médicas, o médico Antônio Carlos de Barros Martins ressalta a importância da iniciativa para a população de Minas Gerais, em especial por ajudar a agilizar a fila de espera do SUS. “Com este mutirão, vamos garantir melhor qualidade de vida para esses pacientes”.

A hérnia é um defeito nos músculos do abdome que permite que o intestino ou uma porção de gordura passe através dele. A forma de curá-la é a cirurgia. As hérnias da parede abdominal afetam cerca de 20 a 25% da população adulta brasileira. Elas ocorrem principalmente na virilha (inguinal), no umbigo (umbilical) e em locais onde o paciente já tenha passado por outra cirurgia (incisional).

De acordo com o DataSus, em todo o Brasil foram realizadas 281.392 operações de hérnia da parede abdominal, entre março de 2018 e março de 2019. Destas, 11 mil foram realizadas na Região Sudeste.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade