Publicidade

Estado de Minas

'Um dos mais perigosos', diz delegado sobre homem que atirou em família de PM

Fabrício Teixeira Loredo foi preso por atirar na mulher e no sobrinho de um policial militar na BR-040 em 15 de julho deste ano. Ele é apontado como um dos líderes do Morro das Pedras


postado em 25/07/2019 15:57 / atualizado em 25/07/2019 16:50

Fabrício Teixeira Loredo foi preso no Morro das Pedras(foto: Reprodução/TV Alterosa)
Fabrício Teixeira Loredo foi preso no Morro das Pedras (foto: Reprodução/TV Alterosa)

Um criminoso com ficha criminal extensa, de até 20 páginas, frio e integrante de uma das maiores organizações criminosas do país. Essas são características dadas pela Polícia Civil a Fabrício Teixeira Loredo. O homem foi preso em Belo Horizonte por atirar contra um policial militar e a família dele em 15 de julho deste ano na BR-040, em Ribeirão das Neves, na Grande BH. Uma das linhas de investigação é que ele e outros comparsas queriam assaltar as vítimas. Porém, não está descartado um atentado contro o PM. Fabrício foi apresentado nesta quinta-feira por equipes da Delegacia Especializada de Crimes Contra o Patrimônio (Depatri).

O crime contra o policial aconteceu em 15 de julho na BR-040. Na noite daquele dia, o veículo onde estava o militar e a família apresentou problemas mecânicos na altura do km 511, no Bairro Belvedere, em Ribeirão das Neves. Por isso, tiveram que encostar na rodovia. Logo em seguida, uma Kombi passou por eles e parou em uma rua sem pavimentação. Dois homens desembarcaram armados e anunciaram o assalto. Eles roubaram celulares, carteiras e outros pertences e, segundo o policial, atiraram contra as vítimas. Ele usou a arma particular para revidar e um dos criminosos foi atingido, fugindo com os comparsas.

A sobrinha e a mulher do policial foram atingidas e socorridos para o hospital. No mesmo dia, quatro suspeitos foram detidos. Porém, Fabrício não foi encontrado. O Depatri já tinha investigações em andamento para tentar prender o criminoso, considerado de alta periculosidade. “Ele é um dos líderes do Aglomerado Morro das Pedras.  Lá, é considerado o braço direito do Nem Sem-Terra, um dos membros de uma organização criminosa paulista que age dentro e fora dos presídios. Este individuo se encontrava na região de Ribeirão das  Neves, junto com outros suspeitos de ter participado do roubo contra um policial militar”, explicou o delegado Rafael Horácio, responsável pelo caso.

Após o crime, os investigadores receberam informações de que Fabrício havia voltado para o Morro das Pedras. Diante disso, equipes da Polícia Civil passaram a fazer levamentos no local. “Diante dos dados, conseguimos encontrá-lo. Ao perceber a abordagem, ele fugiu, foi perseguido e acabou preso”, disse o delegado.

Em depoimento, Fabrício, segundo Horácio, confessou o assalto, mas que em nenhum momento teve intenção de atingir as vítimas. Os tiros teriam sido efetuados por ele para garantir a fuga.

Extensa ficha criminal


O delegado ressalta que o criminoso é perigoso e dono de uma extensa ficha criminal. “ É um inividuo de extrema periculosidade. Foi responsável por uma rebelião em Ouro Preto. Ele está foragido desde 2011, da Penitenciária Agrícola de Ribeirão das Neves, tanto que se encontra, atualmente, no pavilhão de segurança máxima da Nelson Hungria (Penitenciária). É uma pessoa de sangue frio, não demonstra arrependimento de nenhum crime. Tem 20 páginas de antecedentes criminais, como tráfico de drogas, disparos de arma de fogo, latrocínio – roubo seguido de morte”, comentou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade