Publicidade

Estado de Minas

Barreira será construída em Macacos devido a risco de rompimento de barragem

Medida da Vale é para minimizar eventuais impactos em caso de rompimento da Barragem B3/B4 da Mina Mar Azul


postado em 06/07/2019 06:00 / atualizado em 06/07/2019 07:39

Barragem B3/B4 da Mina Mar Azul está no nível máximo de alerta de risco(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
Barragem B3/B4 da Mina Mar Azul está no nível máximo de alerta de risco (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)

Uma barreira formada por pedras. Esta é uma das medidas tomadas pela Vale para minimizar eventuais impactos em caso de rompimento da Barragem B3/B4 da Mina Mar Azul, em São Sebastião das Águas Claras, conhecida popularmente como Macacos. No modelo de enrocamento, a estrutura será colocada a oito quilômetros a jusante da barragem, pouco antes da estrada que liga o distrito à sede de Nova Lima, na Grande BH.

“O objetivo da obra é minimizar os impactos às comunidades e ao meio ambiente, incluindo o Rio das Velhas e a Estação de Tratamento de Água de Bela Fama, além de toda a Zona de Segurança Secundária (Honório Bicalho, Rio Acima, Raposos, Nova Lima). Após concluída, a barreira terá a capacidade de reter todo o rejeito da barragem em caso de rompimento”, informou a mineradora. Localizada em Macacos, B3/B4 está no nível máximo de alerta de risco e, por isso, mais de 200 pessoas foram retiradas de casa.

Os serviços de preparação para a instalação da barreira já foram iniciados. Em maio, a empresa realizou estudo de sondagem no distrito. Foram avaliados nove pontos ao longo de oito quilômetros de distância a partir da barragem, incluindo a entrada de Macacos.

O relatório começou a ser feito em 20 de maio. As obras devem durar aproximadamente um ano. “Por se tratar de uma obra emergencial, não há necessidade de licenciamento prévio. A Vale informou o início da obra à Fundação Estadual de Meio Ambiente em 29 de maio. Para realizá-la, a Vale está construindo um acesso na região de forma a evitar que os caminhões trafeguem dentro da vila de Macacos”, afirmou a empresa. 

Barão de Cocais


A intervenção é semelhante à que está sendo feita em Barão de Cocais, na Região Central de Minas, devido aos riscos na Barragem Sul Superior da Mina de Gongo Soco. Nessa área, um muro a seis quilômetros da barragem, que deve ter 35 metros de altura, 307 de comprimento e 10 de largura na parte superior. Segundo a mineradora, a estrutura será capaz de reter grande parte dos materiais que podem vazar do reservatório.  O início dos serviços para a construção do muro começaram em maio.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade