Publicidade

Estado de Minas

Alunos de escola interditada em Macacos voltam às aulas nesta sexta-feira

Instituição está localizada próxima à mancha de risco de rompimento da barragem B3/B4, de propriedade da Vale


postado em 09/05/2019 18:26 / atualizado em 09/05/2019 18:42

Alunos estão sem aula desde 16 de fevereiro (foto: Divulgação/Vale)
Alunos estão sem aula desde 16 de fevereiro (foto: Divulgação/Vale)

A Vale entregou, nesta quinta-feira, a estrutura provisória onde vai funcionar a Escola Municipal Rubem Costa Lima, em Macacos, distrito de Nova Lima. Com a entrega e com o alvará do Corpo de Bombeiros, concedido nesta quinta-feira, 194 crianças de 4 a 11 anos voltarão às aulas ainda nesta sexta-feira, às 7h.

Crianças e pré-adolescentes estão sem aulas desde 16 de fevereiro, quando a instituição de ensino teve que ser fechada devido ao alerta de instabilidade da barragem B3/B4 - a escola está localizada próxima à mancha de risco de rompimento.

A entrega vem depois de uma longa discussão entre pais e responsáveis de alunos com representantes da Vale, Corpo de Bombeiros e Prefeitura Municipal de Nova Lima. A apreensão era de que as crianças poderiam perder um ano letivo de suas vidas, já que por lei, é necessário ter, no mínimo 25% de frequência nas aulas - a data limite era 31 de maio.

A partir de agora, os alunos conseguirão completar o ano letivo de 2019. Para isso, deverão ter aulas durante todo o ano, sem tempo para férias ou prolongamento de feriados. De acordo com a Secretaria de Educação de Nova Lima, o calendário escolar já está disponível para a comunidade e será divulgado, nos próximos dias, para a imprensa.

Ao todo, 194 crianças de 4 a 11 anos deverão entrar na escola(foto: Divulgação/Vale)
Ao todo, 194 crianças de 4 a 11 anos deverão entrar na escola (foto: Divulgação/Vale)


O novo local de funcionamento da escola é o antigo Instituto Kairós, localizado no Bairro Jardim Amanda. De acordo com a mineradora, a estrutura provisória é construída com painéis estruturais termoisolantes - material que dificulta as trocas térmicas entre ambientes externos e internos. 

Ela conta com quatro salas de aula para o ensino fundamental, duas salas para atender às crianças da creche e um berçário. O espaço conta também com sala de professores e supervisores, diretoria, cozinha e refeitório, biblioteca, brinquedoteca e recursos de informática.

Conflito

Após a interdição da escola original, levantou-se a hipótese de retomar as aulas no antigo Instituto Kairós. No entanto, após negociações com o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e afetados pela interdição, a Vale anunciou que só conseguiria entregar a escola provisória em 5 de julho, data posterior ao limite mínimo de aulas estabelecido por lei. 

Como forma de resolver o imbróglio, a Vale apresentou um novo projeto de construção para a estrutura provisória.  Segundo a mineradora, para o adiantamento da entrega das obras, foi necessário alterar os materiais e a forma como a instituição de ensino seria levantada.

Além da escola provisória, ficou firmado que a mineradora construirá uma escola definitiva no Bairro Capela Velha. A previsão é de que a instituição fique pronta até 31 de janeiro de 2020. 

* Estagiário sob supervisão da subeditora Ellen Cristie

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade