Publicidade

Estado de Minas

Novo estudo força a saída de mais 23 famílias de área de risco de barragem em Itatiaiuçu

Empresa ArcelorMittal, responsável pelo reservatório, já havia removido 48 famílias desde que houve mudança no nível de segurança da represa. Agora, documento foi atualizado indicando a necessidade de novas remoções


postado em 04/07/2019 11:49 / atualizado em 04/07/2019 12:48

Com a atualização do estudo de dam break da barragem, outras 23 famílias terão que sair de suas casas, totalizando 71 famílias desde 8 de fevereiro(foto: Edésio Ferreira/EM/D.A PRESS - 08/02/2019)
Com a atualização do estudo de dam break da barragem, outras 23 famílias terão que sair de suas casas, totalizando 71 famílias desde 8 de fevereiro (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A PRESS - 08/02/2019)
Agentes da Defesa Civil de Minas Gerais estão na manhã desta quinta-feira no Bairro Pinheiros, em Itatiaiuçu, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, onde mais 23 famílias residentes da região terão que ser removidas a partir da atualização do estudo de inundação da barragem de rejeitos da Mina Serra Azul, de responsabilidade da empresa ArcelorMittal.

Segundo o tenente-coronel Flávio Godinho, coordenador-adjunto da Defesa Civil do estado, desde 8 de fevereiro, quando o nível de segurança da barragem saltou de 1 para 2, indicando estágio de alerta do reservatório, 48 famílias já haviam sido removidas de suas casas, totalizando 159 pessoas.

Naquela ocasião, um estudo de inundação anterior, chamado de dam break motivou a saída dessas pessoas. Agora, com a atualização do estudo a partir de parâmetros mais conservadores, a empresa identificou a necessidade de retirar mais 23 famílias.

Segundo a Defesa Civil, a partir das 13h cinco equipes multidisciplinares compostas por servidores das áreas da saúde, assistência social e defesa civil vão avisar as famílias cuja necessidade de remoção foi identificada.

A ArcelorMittal confirmou a informação por meio de uma nota enviada à imprensa. Segundo a mineradora, o estudo atual considera uma margem de segurança maior. "É importante destacar que não houve nenhuma alteração no nível de emergência da barragem, que permanece no nível 2", informou a empresa. Ainda conforme a Arcelor, os moradores serão transferidos para acomodações temporárias.

"A Mina de Serra Azul está realizando novas ações e estudos complementares para avaliar as opções para retornar ao plano de descomissionamento da barragem de rejeitos de maneira segura. Após conclusão das melhorias para recuperar o fator de segurança, que estão em andamento, a empresa irá executar o descomissionamento da estrutura", conforme nota enviada pela empresa.

A barragem da Mina de Serra Azul está desativada desde outubro de 2012. De lá para cá, a operação é feita sem nenhum rejeito úmido, método substituído por empilhamento a seco e em cava. Depois da tragédia em Brumadinho, ela foi a segunda barragem de rejeitos no estado a elevar seu nível de segurança, logo após o mesmo procedimento ter sido acionado para a Barragem Sul Superior, em Barão de Cocais, na Região Central.


Publicidade