Publicidade

Estado de Minas

Idoso desaparecido há quase cinco anos no Rio de Janeiro é encontrado na Savassi, em BH

Homem tem 64 anos e tinha registro do sumiço desde 20 de dezembro de 2014, quando a irmã informou a PM o ocorrido


postado em 30/06/2019 22:00 / atualizado em 30/06/2019 22:57

(foto: Wkipédia )
(foto: Wkipédia )

Um idoso de 64 anos, que estava desaparecido há quase cinco anos, foi encontrado neste domingo em Belo Horizonte. O homem – que apresenta quadro de esquizofrenia -, é do Rio de Janeiro e tinha registro de sumiço desde 20 de dezembro de 2014, quando a irmã dele informou a polícia da capital fluminense.


O encontro só foi possível graças a presteza da tenente Elisa Bredt, e do cabo Alessandro Oliveira, da 4º Companhia do 1º Batalhão da Polícia Militar, que desconfiaram do comportamento confuso e o abordaram na Avenida Getúlio Vargas, na Savassi, Centro-Sul da capital.


De acordo com a tenente Elisa, o idoso estava em frente a vitrine de uma agência de turismo e tinha comportamento de quem tentava comprar passagens, porém, o estabelecimento estava fechado. Ainda de acordo com a policial, a forma de se portar chamou a atenção e, por isso, ele foi abordado.


“Ele apresentava quadro de confusão mental, mas conseguiu passar pra gente o nome dele e o da mãe. Assim, conseguimos pesquisar e vimos que havia registro do desaparecimento dele no Rio de Janeiro”, contou a militar. O homem foi levado à delegacia do idoso, mas a ocorrência acabou sendo encaminhada para as de Pessoas Desaparecidas.


Segundo informações da Polícia Militar, no boletim de ocorrência do sumiço, a irmã do idoso relatou que na fatura do cartão de crédito dele, da época do desaparecimento, constava que foram compradas passagens com destino à BH.

Há ainda no documento policial a informação de que poucos dias depois do desaparecimento, ainda em 2014, foram feitas cinco tentativas de saque de dinheiro da conta dele em um caixa eletrônico dentro de um supermercado na Avenida Waldomiro Lobo, no Bairro Guarani, Região Norte da capital, mas, por errar a senha, o cartão acabou sendo bloqueado.


Ao Estado de Minas a tenente Elisa ainda contou que o idoso não informou onde esteve durante todo o tempo, mas aparentava morar na rua. Informação confirmada por ele. “Em momento nenhum ele se mostrou agressivo, ele tava calmo, conversando com a gente, mas não estava conseguindo passar todas as informações que a gente precisava”, contou.


O idoso foi levado ao hospital Raul Soares, especializado no tratamento de distúrbios mentais, até a chegada de algum familiar. A tenente Elisa contou que a irmã do homem informou que alguém da família virá a Belo Horizonte para resgatá-lo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade