Publicidade

Estado de Minas

Atlas da Violência 2019: estudo aponta aumento de homicídio de mulheres em Minas

Entre 2016 e 2017, o aumento foi de 3,4% nos assassinatos de mulheres. Somente em 2017, foram 388 mortes registradas em Minas Gerais, média de uma por dia


postado em 05/06/2019 14:55 / atualizado em 05/06/2019 15:42

Dados do Atlas da Violência 2019 foram divulgados nesta quarta-feira(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
Dados do Atlas da Violência 2019 foram divulgados nesta quarta-feira (foto: Ed Alves/CB/D.A Press)

A violência contra a mulher apresentou alta em Minas Gerais entre 2016 e 2017. Dados dados do Atlas da Violência de 2019, produzido pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), mostram que o estado teve alta de 3,4% no homicídio de mulheres. O estudo, divulgado nesta quarta-feira, mostra que a maioria das vítimas do território mineiro eram negras. Em todo Brasil, o assassinato de mulheres teve aumento de 6,3% entre os dois anos.

O levantamento foi feito entre 2007 e 2017. Em Minas Gerais, os assassinatos contra mulheres aumentou em 2017. Os dados mostram que foram 388 ocorrências registradas nos 12 meses daquele ano, 13 a mais do que em 2016. Em 2015, foram 415 registros, e 2014, 403 casos. A pesquisa foi feita em cima dos dados oficiais do Sistema de Informações sobre Mortalidade, do Ministério da Saúde (SIM/MS),

Os pesquisadores que participaram do estudo que deu origem ao Atlas da Violência de 2019, ressaltam que não há como definir se houve aumento nos registros de feminicídios – homicídio contra a mulher motivado por menosprezo, discriminação ou por violência doméstica – pelas
polícias, ou diminuição da subnotificação. “A Lei do Feminicídio (Lei no 13.104, de 09/03/2015) é relativamente nova, de modo que pode haver processo de aprendizado em curso pelas autoridades judiciárias”, indicaram.

O estudo aponta que houve um crescimento dos homicídios femininos no Brasil em 2017. Naquele ano, foram aproximadamente 13 assassinatos por dia. Foram 4.936 mulheres mortas, o
maior número registrado desde 2007.

Vítimas negras


Do total de mulheres assassinadas em Minas Gerais em 2017, 67,2% eram negras. Os dados do Atlas da Violência 2019 mostram um aumento de homicídios de vítimas femininas negras entre 2016 e 2017. Foram registrados, respectivamente, 247 e 261, uma diferença de 5,7%.


Queda de homicídios em Minas


O Atlas da Violência 2019 mostra que a taxa de homicídios no Brasil aumentou 4,2% de 2016 para 2017, chegando ao recorde de 31,6 mortes para cada 100 mil habitantes. O país teve 65.602 homicídios em 2017, um número absoluto 4,9% maior de que em 2016.

Minas Gerais apresentou queda de homicídios entre 2016 e 2017. Os registros de assassinatos saíram de 4.622, para 4.299, uma redução de 7% no período. Mesmo assim, no último ano, a média foi de 11,7 mortes por dia.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade