Publicidade

Estado de Minas

Brumadinho: após quatro meses, número de vítimas identificadas sobe para 242

Identificação de funcionário da Vale foi confirmada hoje, quando familiares e amigos das vítimas lembraram os 120 dias do rompimento da barragem da Vale


postado em 25/05/2019 13:55 / atualizado em 25/05/2019 14:59



Neste sábado, 25 de maio, o rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, completa quatro meses. Para marcar a data, moradores realizaram uma cerimônia em homenagem às vítimas. Hoje, a Polícia Civil de Minas Gerais atualizou o número de pessoas identificadas, que chegou a 242. 

A identificação confirmada pelas autoridades é de Rogério Antônio dos Santos, de 57 anos, funcionário da Vale. Segundo familiares, ele estava entre o refeitório e a oficina no início da tarde de 25 de janeiro, quando o desastre ocorreu. Os parentes participavam do ato nesta manhã quando receberam a notícia. Vinte e oito pessoas seguem desaparecidas. Hoje, 151 bombeiros militares e três cães trabalham nas buscas na área atingida pelos rejeitos, divididos em 22 frentes de trabalho. 

Cerimônia foi realizada em frente ao letreiro da cidade neste sábado(foto: Joana Melo/Divulgação)
Cerimônia foi realizada em frente ao letreiro da cidade neste sábado (foto: Joana Melo/Divulgação)


Nesta manhã, parentes e amigos das vítimas se reuniram mais uma vez em frente ao Monumento de Brumadinho para lembrar os entes queridos que se foram. A concentração começou por volta das 11h30 com apresentações musicais. Os nomes das vítimas foram lidos em uma chamada e também foi realizado um culto ecumênico. 

Segundo Josiane Melo, uma das organizadoras do evento, os bombeiros que participam das buscas também foram homenageados com uma placa de agradecimento. “Eles foram os primeiros a chegar e ainda estão lá. Nos recebem toda a quarta-feira com outras autoridades, passam as informações pra gente, a gente contribui com informações dos nossos. Muitas pessoas foram identificadas com informações que as famílias cederam”, comentou.

Familiares das vítimas entregaram uma placa em homenagem ao Corpo de Bombeiros(foto: Josiane Melo/Divulgação)
Familiares das vítimas entregaram uma placa em homenagem ao Corpo de Bombeiros (foto: Josiane Melo/Divulgação)

(foto: Joana Melo/Divulgação)
(foto: Joana Melo/Divulgação)


Os médicos que atuam no Instituto Médico Legal (IML) de Belo Horizonte também foram lembrados. “Dois médicos do IML estavam lá representando, o doutor Ricardo e doutora Iara, (agradecemos) por todo o empenho e esforço e pedimos a celeridade da identificação dos fragmentos que ainda estão lá”, disse. Moradores do Rio de Janeiro e de Brasília também participaram do evento neste sábado.  “O que a gente realmente quer com isso é que as pessoas não se esqueçam”. 

A irmã de Josiane, Eliane de Oliveira Melo, de 39 anos, é uma das vítimas do rompimento da barragem da Vale. Grávida de cinco meses, ela daria à luz entre a última semana de maio e a primeira de junho, segundo a irmã. O corpo de Eliane foi identificado 69 dias após desastre. “A gente está neste grupo para lutar. Nossa primeira bandeira é encontrar as joias que ainda não foram encontradas, e lutar por justiça para que a mineração continua, mas com leis mais rígidas que preservem a vida”, enfatizou. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade