Publicidade

Estado de Minas

Mortos por rompimento de barragem da Vale em Brumadinho sobem para 216

Polícia Civil identificou mais duas pessoas vítimas da tragédia em 25 de janeiro. Alex Mario Moraes Bispo e Paulo Geovane dos Santos estavam entre os desaparecidos


postado em 27/03/2019 07:00

Trabalho de busca por desaparecidos tem apoio fundamental dos cães farejadores(foto: Leandro Couri/EM/D.A PRESS)
Trabalho de busca por desaparecidos tem apoio fundamental dos cães farejadores (foto: Leandro Couri/EM/D.A PRESS)
Os mortos devidamente identificados pelo Instituto Médico Legal (IML) na tragédia de Brumadinho subiram para 216. Os dados da Polícia Civil apontam que ontem ficaram prontos os resultados que confirmam as identificações de Alex Mario Moraes Bispo e Paulo Geovane dos Santos. Dessa forma, os desaparecidos caíram para 89.

Na segunda-feira, dia em que o rompimento da Barragem 1 da MIna Córrego do Feijão, em Brumadinho, na Grande BH, completou dois meses, os órgãos de segurança deram uma entrevista coletiva e a Polícia Civil informou que ainda haviam 231 casos pendentes de identificação no IML, porém, esses são corpos e segmentos, lembrando que os segmentos podem ser de pessoas que já foram devidamente identificadas e liberadas para os familiares para sepultamento.

Segundo os dados disponibilizados pela Vale, mineradora responsável pela barragem que se rompeu, tanto Alex quanto Paulo aparecem no grupo de pessoas que não eram funcionários diretos da Vale, mas sim terceiros ou membros das comunidades por onde a lama passou. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade