Publicidade

Estado de Minas

Ministério do Turismo lamenta rompimento da barragem em Brumadinho e impacto em Inhotim

Pasta se solidarizou com as famílias atingidas e se disponibilizou para firmar parcerias com órgãos do governo na recuperação da região


postado em 25/01/2019 17:40

(foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação )
(foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação )

O Ministério do Turismo lamentou na tarde desta sexta-feira o rompimento da barragem da Mina Córrego Feijão, em Brumadinho, que deixou até o momento cerca de 200 pessoas desaparecidas, segundo informações do Corpo de Bombeiros. Em nota, a pasta se solidariza com as vítimas e com a comunidade afetada e destaca o impacto no funcionamento do Instituto Inhotim.


“Neste momento de dor, a Pasta entende que a maior preocupação deve ser com as vidas impactadas pela tragédia. Além de todos os danos ambientais, o rompimento afeta o Instituto Inhotim, maior centro de arte ao ar livre da América Latina e importante atrativo turístico do Brasil”, afirmou a pasta.


O ministério ainda afirma que se coloca à disposição para ajudar através das atividades da pasta na recuperação dos impactos do rompimento. “Desde já, o Ministério do Turismo se coloca à disposição para trabalhar em parceria com outros órgãos do governo no amparo às famílias e na recuperação da região para minimizar o impacto da catástrofe e, por meio do turismo, ajudar a comunidade a superar o trauma e retomar a vida”.


Logo após a informação do rompimento da barragem, a administração do centro de artes resolveu evacuar o local e suspendeu as atividades no fim de semana. Distante cerca de 16 quilômetros da barragem, o complexo de arte contemporânea e jardim botânico não foi atingido pela lama.


O Inhotim recebe em média 35 mil visitantes por mês. De acordo com a assessoria, não é possível precisar quantos estavam no complexo nesta sexta-feira, pois a contagem só é feita no fim do dia.


A barragem do Córrego do Feijão, em Brumadinho, na Região Metropolitana, rompeu-se no fim da manhã desta sexta-feira (25). A barragem pertence à Vale. O número de vítimas ainda não foi informado, mas o número inicial e de que cerca de 200 pessoas estão desaparecidas.

O Corpo de Bombeiros e o governo de Minas Gerais enviaram viaturas e helicópteros para o socorro no município. Em vídeos feitos no local, funcionários da mineradora falam até em um restaurante atingido pela lama.


Publicidade