Publicidade

Estado de Minas

Homem é soterrado em obra no Bairro Funcionários, em BH

Militares do Corpo de Bombeiros estão no local para socorrer a vítima, que está sob três metros de terra. Local foi escorado para para garantir segurança do resgate


postado em 05/12/2018 11:19 / atualizado em 05/12/2018 18:41

Ver galeria . 11 Fotos Paulo Filgueiras/EM/D.A.Press
(foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A.Press )

Militares do Corpo de Bombeiros realizam um trabalho incessante para salvar um operário que foi  soterrado na manhã desta quarta-feira na obra de um prédio residencial na Rua Piauí próximo com a esquina com a Rua Aimorés, no Bairro Funcionários, Região Centro-sul de Belo Horizonte. Equipes especializadas e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). As causas do incidente ainda serão apuradas.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o homem, que seria um trabalhador da obra, foi atingido por uma quantidade de terra que deslizou, deixando o operário soterrado em um buraco aberto para a construção de um muro que fará a contenção do terreno vizinho. “A vítima está soterrada dentro da obra. O corpo de bombeiros está trabalhando com várias equipes no local. Existem várias equipes especializadas, tem equipes do Samu. É um trabalho de muita paciência, muita técnica, onde foi feito um escoramento, utilizamos escoras, cunhas, e o local se tornou estável”, explicou o tenente Gonzalez.

Os bombeiros tiveram que solicitar a presença da Polícia Militar no local para retirar outros operários que também estavam em risco. Inicialmente não quiseram sair para tentar resgatar o colega. A primeira ação dos militares foi realizar o escoramento para conseguir fazer a retirada da terra com segurança. Essa parte do trabalho de salvamento durou cerca de uma hora. “Foi feita uma escavação de aproximadamente um metro e meio de terra, que já foi retirada. Mas o relato é que ela (vítima) estaria a três metros abaixo do nível do solo”, disse o tenente. Segundo ele, o local onde está o operário é de cerca de meio metro de diâmetro.

Os militares utilizam várias técnicas para realizar o salvamento. Entre elas, o rapel. “Como se trata de um local abaixo do nível do solo, se trabalha com segurança, então, para os bombeiros acessar a vítima, eles precisam descer com a técnica do rapel. Isso evita um novo acidente”, disse o tenente.

As causas do incidente ainda serão apuradas. “Quando os bombeiros chegaram ao local, trabalhamos com as nossas escoras. Ainda não foi possível visualizar se existe ou não segurança. Essa informação só poderá ser confirmada com o trabalho da perícia”, completou o tenente.

Por meio de nota, a Construtora Terrazzas lamentou o incidente com o operário. “Ao longo dos últimos 15 anos, nos transformamos em uma das referências em segurança do trabalho no setor da Construção Civil, através de um rigoroso controle da utilização correta de todos os equipamentos de proteção e adoção de práticas e iniciativas inovadoras. Infelizmente o risco é inerente à nossa atividade e estamos muito consternados com o acontecido, nossa equipe já está prestando todas as informações às autoridades competentes, para a rápida apuração do caso”. “E, por fim, reafirmamos o nosso compromisso em prestar todo o amparo necessário à família da vítima neste momento tão difícil. A empresa está em luto e agradecemos a todas as manifestações de solidariedade que recebemos”, finalizou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade