Publicidade

Estado de Minas

Segurança da UFMG publica ameaças à instituição em redes sociais

Entre as imagens publicadas pelo agente, está uma em que sete armas são exibidas no gramado da universidade, que repudiou o ocorrido


postado em 30/10/2018 21:12 / atualizado em 30/10/2018 22:16

(foto: Reprodução/ Redes Sociais)
(foto: Reprodução/ Redes Sociais)
Um segurança terceirizado da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em Belo Horizonte, postou na segunda-feira ameaças à instituição de ensino superior com imagens de várias armas no gramado da universidade. Em uma das publicações, o agente escreveu: “a mudança chegou aos gramados da UFMG. Segura suas ondas em pq o pau vai canta (sic).”

Além da frase, o homem postou uma imagem, onde são exibidas sete armas, sendo revólveres pistolas e facas (foto acima).

Devido às ameaças, as aulas de uma matéria do  curso noturno de gestão pública chegaram a ser canceladas nesta terça-feira. Apesar de considerar que as medidas de segurança já foram tomadas pela reitoria, o professor citou "precaução extra" como justitifcativa.

Repúdio da UFMG

Em nota divulgada no Facebook, a Universidade Federal de Minas Gerais informou que já entrou em contato com a empresa de segurança contratada para confirmar a identidade do funcionário e pediu o afastamento do agente. Veja o esclarecimento na íntegra:

Na noite de 29 de outubro, a UFMG recebeu, via Ouvidoria – órgão que tem o papel institucional de zelar pelo direito à manifestação e à informação do cidadão – denúncia contra um dos funcionários da empresa terceirizada prestadora de serviços de segurança patrimonial. Tal denúncia indicava que o referido funcionário havia publicado mensagem com apologia ao uso da violência contra membros da comunidade universitária em uma rede social.

A UFMG entrou em contato com a empresa para confirmar a identidade do funcionário e solicitou que o mesmo não fizesse mais parte da equipe de profissionais que trabalham na e para a Universidade. A UFMG não aceita qualquer manifestação de intransigência e autoritarismo, de desrespeito à diversidade e aos direitos humanos, princípios caros a uma Universidade edificada sobre ideais democráticos e republicanos.

A manifestação de repúdio da Instituição reitera mensagem publicada pela reitora Sandra Regina Goulart Almeida e pelo vice-reitor Alessandro Fernandes Moreira em 15 de outubro, quando ambos reafirmaram o “inequívoco compromisso com os ideais democráticos, o Estado de direito e a justiça, a liberdade de expressão e cátedra, o bem comum e o interesse coletivo, o respeito à diversidade e aos direitos humanos”.

A Universidade também está em negociação com a empresa contratada para a adoção de medidas formativas com o objetivo de sensibilizar o corpo de funcionários terceirizados. Essas medidas objetivam assegurar que a atuação na área de segurança patrimonial se dê de forma ética e respeitosa, em consonância com os valores republicanos defendidos pela instituição.

Universidade Federal de Minas Gerais

*Estagiário sob supervisão da subeditora Regina Werneck

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade