Publicidade

Estado de Minas

Presos suspeitos de assassinar empresário em apartamento

Leônidas de Araújo Leão Júnior, de 54 anos, conhecido como Junior Parrela, dono de uma empresa de transportes em Montes Claros, na Região Norte de Minas, foi encontrado morto na noite desse domingo


postado em 01/10/2018 15:24 / atualizado em 01/10/2018 15:29

Empresário foi encontrado enforcado dentro de apartamento em Montes Claros(foto: Reprodução da internet/Facebook)
Empresário foi encontrado enforcado dentro de apartamento em Montes Claros (foto: Reprodução da internet/Facebook)

A Polícia Civil confirmou, na tarde desta segunda-feira, a prisão de dois rapazes suspeitos da morte do empresário Leônidas de Araújo Leão Júnior, de 54 anos, conhecido como Junior Parrela, dono de uma empresa de transportes em Montes Claros, na Região Norte de Minas. O corpo dele foi encontrado na noite desse domingo no Bairro Augusta Mota, área de classe média, no lado Sul da cidade. O assassinato teve grande repercussão no município.

A suspeita é que o empresário  tenha sido  vítima de latrocínio – roubo seguido de morte. A Polícia Civil de Montes Claros anunciou que vai dar mais detalhes sobre o assassinato na manhã de terça-feira, quando o delegado Bruno Rezende, titular da Delegacia de Homicídios, vai apresentar os dois suspeitos.

O corpo de Junior Parrela foi encontrado com os pés e mãos amarrados com camisas, de bruços, na sala de estar do apartamento. Ele foi morto por enforcamento. A vítima estava desparecida desde a noite de sábado.

A câmera de vídeo do sistema de segurança do prédio registrou imagens de dois rapazes que entraram no apartamento de Junior Parrela, onde vários objetos do apartamento foram revirados e as portas de guarda-roupas estavam abertas. Os dois estranhos deixaram o local em uma moto do empresário. O veículo foi encontrado a 500 metros do imóvel. O telefone celular da vítima também foi levado.

O crime teve repercussão nas redes sociais. “Não tenho palavras pra descrever tamanha maldade ocorrida com um ser humano de bom coração”, escreveu uma amiga dele. “Perdemos uma boa pessoa, de forma extremamente cruel, injusta e covarde. Todos, temos nossas peculiaridades, que nos individualizam e nos fazem ser o que a gente é. O Junior Parrela se fazia perceber de logo quem ele era. Trabalhador, honesto, amigo, companheiro e completamente franco, dizia aquilo que pensava”, diz outra mensagem.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade