Publicidade

Estado de Minas

Passageira é presa com cocaína colada ao corpo no Aeroporto de Confins

Cães farejadores indicaram odor de drogas próximo ao corpo da mulher. Foram encontrados aproximadamente quatro quilos de cocaína junto ao corpo dela. O material estava preso com esparadrapo nas coxas, e na canela


postado em 18/09/2018 13:18 / atualizado em 18/09/2018 13:34

Droga foi encontrada junto ao corpo da passageira(foto: Polícia Federal (PF) / Divulgação)
Droga foi encontrada junto ao corpo da passageira (foto: Polícia Federal (PF) / Divulgação)

O aeroporto internacional de Confins, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, continua na rota do tráfico de drogas. Uma passageira acabou presa quando fez conexão no terminal vindo de Porto Velho, Rondônia. Ela seguiria com destino a Belém, no Pará. Porém, acabou flagrada com quatro quilos de cocaína escondidos nas pernas dela. Em agosto, o Estado de Minas mostrou que a apreensão de entorpecentes no aeroporto já se aproximava do total retirado de circulação em todo 2017.

A prisão da mulher aconteceu nesse fim de semana. De acordo com a Polícia Federal (PF), a passageira desembarcou no aeroporto vindo de um voo de Porto Velho. Durante a fiscalização contra o tráfico interestadual de droga, cães farejadores indicaram odor de drogas junto à passageira.

Segundo a PF, foram encontrados aproximadamente quatro quilos de cocaína junto ao corpo dela. O material estava preso com esparadrapo nas coxas, e na canela. Dentro da mochila que ela levava, também foram encontradas drogas. Para a PF, o material estava preso junto a barriga dela, mas, por se sentir incomodada, a passageira transferiu o entorpecente para a bolsa.
 
Cães farejadores ajudaram na ação(foto: Polícia Federal (PF) / Divulgação)
Cães farejadores ajudaram na ação (foto: Polícia Federal (PF) / Divulgação)
A mulher foi presa em flagrante e encaminhada para o Complexo Penitenciário Estevão Pinto, em Belo Horizonte. SE condenada, poderá pegar até 25 anos de prisão.

Rota do  tráfico


Em agosto deste ano, o Estado de Minas mostrou que o aeroporto está na rota do tráfico de drogas. Nos primeiros oito meses deste ano, 10 pessoas tinham sido presas em flagrante no terminal com entorpecentes. O número correspondia a 62,5% das prisões realizadas ao longo de 2017. Destaque para a apreensão de skunk, droga mais potente que a maconha, que aumentou 18,7%.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade