Publicidade

Estado de Minas

Campanha de vacinação contra pólio e sarampo é prorrogada em Minas Gerais

Por não bater a meta da cobertura vacinal, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) prorrogou para 14 de setembro. Já em BH, a campanha vai até a próxima quinta-feira


postado em 03/09/2018 16:12 / atualizado em 03/09/2018 16:22

No último sábado, postos de saúde ficaram abertos para receber a população(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
No último sábado, postos de saúde ficaram abertos para receber a população (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)

Mesmo com o segundo Dia D de mobilização para vacinar os moradores contra o sarampo e a poliomelite, a cobertura vacinal em Minas Gerais e Belo Horizonte continua abaixo da meta. A capital mineira está com 81% das crianças entre 1 ano e 4 anos 11 meses e 29 dias    vacinadas contra a pólio e 83% contra o sarampo. Já no estado, a cobertura está em 90,15% e 90,23%, respectivamente. A meta é 95%. Para tentar alcançar o valor estipulado, a vacinação foi prorrogada em Minas até 14 de setembro. Em BH, vai até 6 de setembro. As doses estão disponíveis, gratuitamente, em todas as unidades do Sistema Único de Saúde (SUS).

No último sábado, todos os postos de saúde da capital mineira ficaram abertos para receber a população. Mesmo assim, não conseguiu chegar na meta estipulada. Ao todo, 109.438 crianças estão dentro do público-alvo da campanha. Aproximadamente 18,6 mil ainda não receberam as doses contra o sarampo, e 20,8 mil contra poliomelite.

Está sendo ampliado a busca ativa por crianças nas Unidades Municipais de Educação Infantil (Umeis). De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMSA), a ação está sendo realizada, atualmente, em 80 escolas.

Casos registrados

Último balanço divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), em 30 de agosto, mostra que foram registrados 214 casos suspeitos, sendo que 133 foram analisados e descartados como sarampo. Outros 81 ainda são investigados pela Fundação Ezequiel Dias (Funed). Cidades da Região Metropolitana de Belo Horizonte são as que concentram mais notificações. Atualmente, são 41 casos suspeitos no entorno da capital mineira. BH é que tem o maior número de pacientes com sintomas, são 22 no total. Seguindo de Contagem e Nova Lima, ambas com cinco, e Santa Luzia, com quatro. Todos os casos estão sendo apurados.

O resultado de análise em pacientes com sintomas da doença ligam o alerta da população e das autoridades de saúde. Exames de quatro pessoas apresentaram amostras soropositivas para anticorpos IgM, o que pode indicar a atuação do vírus do sarampo. Porém, uma segunda amostra soropositiva para a confirmação da doença é necessária. Além disso, uma pesquisa de outros diagnósticos diferenciais será realizada.

Segundo a SES, as soropositivas de IgM significa um indicador de resposta imunológica recente, ou seja, os anticorpos da pessoa está em alerta, o que indica uma doença. Porém, ainda não se pode confirmar que seja sarampo, pois outras enfermidades podem provocar a mesma reação, como a dengue, por exemplo. É preciso aguardar alguns dias para realizar um novo exame, e depois, um diagnóstico diferencial, para saber qual é a doença que provocou a alteração.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade