Publicidade

Estado de Minas

Números de afogamentos em Minas aumentaram mais de 25%

De acordo com índice, a média de casos no Estado é de quase três por dia


postado em 21/08/2018 19:41 / atualizado em 21/08/2018 19:42

Bombeiros aconselham a não nadar sozinho(foto: Marcelo Sant'Anna/EM )
Bombeiros aconselham a não nadar sozinho (foto: Marcelo Sant'Anna/EM )
O número de afogamentos em Minas Gerais aumentou mais de 25% quando comparado com o mesmo período no ano passado. De janeiro a junho de 2017, foram atendidas 404 ocorrências, enquanto neste ano foram 512.

Analisando o índice, a média de casos no estado é surpreendente; quase três por dia.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, a maior parte das vítimas tem entre 20 e 40 anos. A displicência e o excesso de confiança, características bem presentes nessa faixa etária, podem explicar os números.

Entre as recomendações dos bombeiros para evitar os acidentes, estão não nadar sozinho, não ingerir bebidas alcoólicas antes de entrar na água, manter-se perto da margem e não tentar salvar pessoas em afogamento sem estar devidamente habilitado.

Casos recentes


Neste mês, o Corpo de Bombeiros já realizou várias operações de salvamento de vítimas de afogamento.

Um jovem de 20 anos desapareceu na tarde do último sábado, nas águas da Cachoeira da Fumaça, na cidade de Nova Ponte, Região do Alto Paranaíba. Ele estaria atravessando o Rio Claro e submergiu, não conseguindo retornar para a superfície. As buscas pelo rapaz ainda continuam.

Já no último dia 12, três jovens morreram após se afogarem e serem arrastados pela correnteza do Rio Doce, em Aimorés, na Região Leste de Minas Gerais. Um outro rapaz que estava com eles sobreviveu porque conseguiu se agarrar em uma pedra e chamou a Polícia Militar, que acionou os bombeiros à noite.

Um dia anterior uma pessoa se afogou enquanto nadava na cachoeira de Três Barras, em Conceição do Mato Dentro, Região Central de Minas Gerais.

*Estagiário sob supervisão da subeditora Ellen Cristie 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade