Publicidade

Estado de Minas

Veja como fica o trânsito com a liberação do Viaduto Leste

O acesso reinaugurado ontem vai ligar quem sai da Avenida Cristiano Machado à Avenida dos Andradas, próximo da Praça da Estação


postado em 25/07/2018 06:00 / atualizado em 25/07/2018 08:13

A finalização da série de obras no Complexo da Lagoinha permitiu que caminho exclusivo para o Move da Cristiano Machado fosse usado(foto: Beto Novaes/EM/DA Press)
A finalização da série de obras no Complexo da Lagoinha permitiu que caminho exclusivo para o Move da Cristiano Machado fosse usado (foto: Beto Novaes/EM/DA Press)

Depois de três anos de engarrafamentos frequentes e muita confusão com bloqueios e desvios, o alívio chegou para os motoristas que passam pelo Complexo da Lagoinha, um dos pontos mais movimentados da cidade. Na tarde de ontem, a Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans) anunciou a reabertura da 2ª alça do Viaduto Leste, o que finaliza a série de obras pela qual o conjunto de elevados passou. Com isso, a população encara uma nova configuração no local, que promete melhorar a circulação do trânsito, inclusive para o transporte público. O valor investido na obra foi de R$ 61,6 milhões, com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da Mobilidade.

O acesso reinaugurado ontem vai ligar quem sai da Avenida Cristiano Machado à Avenida dos Andradas, próximo da Praça da Estação. Para quem vem do mesmo local e pretende ir à Rua Rio de Janeiro, o acesso também já está funcionando normalmente, assim como o caminho exclusivo para os ônibus do Move da Cristiano Machado. Também opera regularmente a chegada à região da Praça da Estação pela Avenida Antônio Carlos e a saída do Centro pelo novo Viaduto Leste.

As mudanças feitas após a construção de um novo viaduto, paralelo ao antigo e com duas novas alças, basicamente proporcionaram três alterações mais significativas na lógica do tráfego. Primeiro, os condutores que chegam à Praça da Estação pela Antônio Carlos não têm mais a interferência do trânsito da Cristiano Machado e agora trafegam de forma segmentada por barreiras de concreto. Outra mudança é a divisão de acessos para quem chega ao Centro pela Cristiano Machado. A primeira entrada leva os motoristas à região da Praça Sete, passando pela Rua Rio de Janeiro. A segunda entrada leva direto à Avenida do Contorno, próximo da Praça da Estação. Por fim, a outra principal mudança diz respeito à circulação dos ônibus do Move. Inaugurado em março de 2014, o sistema sofria a interferência do trânsito misto quando chegava à Lagoinha. Agora, ele tem caminhos exclusivos inclusive na região do complexo de viadutos.

Ontem pela manhã, o trânsito fluiu normalmente, sem nenhuma fila por conta do viaduto. Mas, apesar da promessa de melhorias, mesmo quando as férias de julho tiverem terminado, pelo menos uma situação gera confusão. Os carros que sobem o viaduto vindo da Cristiano Machado e querem seguir para o Hipercentro pela Rua de Janeiro encontram uma bifurcação na parte de cima do viaduto sem nenhuma placa que tenha visibilidade suficiente para indicar qual caminho ele deve seguir. Uma sinalização pequena pouco antes da bifurcação indica que o caminho à esquerda é apenas para ônibus, mas não é clara o suficiente para evitar a entrada de carros menores e por isso provoca uma certa confusão em alguns momentos. (Com Gabriel Ronan)

(foto: Arte EM)
(foto: Arte EM)

 

 

Mudança no Sion


Moradores e motoristas que passam pelo Bairro Sion, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte, devem ficar atentos às mudanças no trânsito que serão implementadas hoje. A circulação na Rua Venezuela, entre as ruas Assunção e Chicago, será alterada. A medida será tomada em caráter de teste, por dois meses. Segundo a BHTrans, a intenção é organizar o trânsito e facilitar a circulação de pedestres. A Rua Venezuela vai passar a ser mão única entre as ruas Assunção e Chicago, nesse sentido. Com isso, as linhas 9105 (Nova Vista/Sion) e 8102 (União/Carmo-Sion) terão pontos e itinerários alterados. Travessias e semáforos para pedestres serão implantados.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade