Publicidade

Estado de Minas

Escola de Ribeirão das Neves é arrombada pela 6ª vez em menos de um mês

Instituição vem sofrendo invasões desde o final de junho. Até mesmo lâmpadas foram furtadas. Imóvel não tem um dos muros


postado em 18/07/2018 13:28 / atualizado em 18/07/2018 14:07

Funcionários que chegaram para trabalhar encontraram salas reviradas hoje(foto: Reprodução da internet/WhatsApp)
Funcionários que chegaram para trabalhar encontraram salas reviradas hoje (foto: Reprodução da internet/WhatsApp)

Uma escola estadual em Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, têm sido alvo constante da ação de criminosos. O imóvel, que fica no Bairro Nossa Senhora Conceição, foi arrombado pela 6ª vez, desde junho, na nesta quarta-feira. 

A Escola Estadual João de Deus Gomes atende estudantes do ensino fundamental, do 1º ao 9º ano. Pela manhã, as aulas foram suspensas e a Polícia Militar (PM) foi chamada para registrar a ocorrência. 

(foto: Reprodução da internet/WhatsApp)
(foto: Reprodução da internet/WhatsApp)
Segundo relatos de funcionários, a primeira invasão da série foi registrada em 28 de junho e a última, antes do caso de hoje, na segunda-feira. “A gente não sabe mais o que fazer. Toda escola precisa de muita coisa, mais é muito urgente que consigam verbas para fazer um muro na parte de trás da escola e a contratação de um vigia”, explicou um professor que trabalha na unidade e pediu pra não ser identificado. Segundo ele, uma parte da escola está desprotegida e não tem sequer arame farpado, o que facilita a entrada de criminosos. 

“O que mais me incomoda é toda a baderna que é feita na escola. Na primeira invasão, a escola havia acabado de instalar rede elétrica e colocar lâmpadas de led, caríssimas. Na primeira e segunda invasão levaram todas”, explica o funcionário. Como acontece com semáforos e outros equipamentos públicos em BH, até mesmo a fiação foi levada. 

Sobre as ocorrências registradas na escola, a Secretaria de Estado de Educação informou que orientou a direção a desenvolver projetos e ações que envolvam toda a comunidade escolar, bem como ações de conscientização sobre a importância da preservação do patrimônio público. “O Serviço de Inspeção Escolar vem acompanhando a escola, em visitas regulares, e repassando todas as orientações relativas ao bom funcionamento das atividades. As aulas foram suspensas, mas a escola pretende retorná-las amanhã, a depender da situação das instalações”, afirmou a pasta por meio de nota.

A SEE disse, ainda, que, junto com a Superintendência Regional de Ensino Metropolitana C, está providenciando a reconstrução do muro da escola.  “Os recursos, no valor de R$ 190 mil, já estão disponíveis na caixa escolar, mas a empresa contratada, que desistira da obra, precisa resolver pendências junto à Receita Federal para que novo processo licitatório seja feito”, explicou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade