Publicidade

Estado de Minas

Bases comunitárias da PM seguirão para a Grande BH e o interior

Serão 120 estruturas direcionadas a municípios como Contagem, Betim, Ribeirão das Neves e Vespasiano, depois seguindo para o interior. Atualmente BH dispõe de 86 bases


postado em 06/07/2018 09:32 / atualizado em 06/07/2018 10:04

Base comunitária móvel reforça policiamento na Praça 7(foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A.Press)
Base comunitária móvel reforça policiamento na Praça 7 (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A.Press)
A experiência das bases comunitárias de segurança em Belo Horizonte conmeçará a ser implantada também no interior, anunciou, nesta sexta-feira (06), o governador Fernando Pimentel.

Atualmente, 86 bases de segurança atuam na capital mineira. "O resultado disso na redução da criminalidade, toda a população ja percebeu. Um resultado muito visível nos índices de criminalidade que estão caindo", afirma o governador.

Essa segunda etapa do esquema de policiamento com bases será iniciado pelos municípios da Grande BH, como Contagem, Betim, Ribeirão das Neves e Vespasiano. Em seguida, o plano é aparelhar o interior com a expectativa de implantar 120 estruturas.

População tem acesso mais fácil à PM com as bases comunitárias móveis(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A.Press)
População tem acesso mais fácil à PM com as bases comunitárias móveis (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A.Press)
Segundo Pimentel, a experiência é diferente das Unidades de Polícia Pacificadoras (UPPs) e de outras filosofias semelhantes implantadas em outros estados. "É um modelo diferente de segurança. Eu acho que se contrapõe a experiências mal-sucedidas que nós estamos acompanhando aí no Brasil, especialmente no Rio de Janeiro. É diferente, nós estamos fazendo segurança voltada para a comunidade, com o apoio da comunidade", afirma.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade