Publicidade

Estado de Minas

PM atribui queda em índices de roubo à ação de bases comunitárias

Ocorrências em estabelecimentos comerciais e ações criminosas contra veículos estão entre os números em queda no primeiro trimestre


postado em 21/05/2018 18:46 / atualizado em 21/05/2018 19:13

Bases comunitárias puxam índices criminais para baixo, de acordo com a porta-voz do Comando de Policiamento da Capital (CPC), Fabíola Gonçalves.(foto: Edésio Ferreira/EM/DA Press)
Bases comunitárias puxam índices criminais para baixo, de acordo com a porta-voz do Comando de Policiamento da Capital (CPC), Fabíola Gonçalves. (foto: Edésio Ferreira/EM/DA Press)
O Comando de Policiamento da Capital (CPC) divulgou, em entrevista coletiva na tarde de hoje, os números da segurança pública, em Belo Horizonte, durante o primeiro trimestre deste ano. Segundo o órgão, a maior redução ficou por conta dos roubos contra motocicletas: 53,7% de diminuição. 

Além disso, também houve queda de 47,3% nas ações em estabelecimentos comerciais; 31,2% nos roubos coletivos; 25,5% nas ocorrências contra aparelhos celulares; 23,3% contra táxis; e 28,5% contra veículos em geral. Todos os números obedecem à comparação ao mesmo período do ano passado.

De janeiro a março deste ano, o CPC afirma ter organizado 39.142 operações. Elas resultaram na prisão de 9.509 pessoas em Belo Horizonte por crimes diversos. Deste total, 796 indivíduos (8,3%) foram detidos por mais de uma vez no período. 

Outros 1.692 adolescentes foram detidos no mesmo período. A PM também tomou posse de 716 armas de fogo, 522 armas brancas, 226 simulacros (armas falsas), além de ter recuperado 1.410 veículos roubados ou furtados.

No total, a corporação registrou 109.059 ocorrências, sendo 2.395 (cerca de 2%) relacionadas à apreensão de drogas. 

De acordo com a porta-voz do CPC, major Fabíola Gonçalves, as 86 bases comunitárias espalhadas por Belo Horizonte contribuíram para alcançar os números. Para ela, os mecanismos aumentam a sensação de segurança e aproximam a Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG) da população, o que também incrementa o número de denúncias.

Com isso, a PM também consegue mapear pontos estratégicos para instalação das bases, o que contribui para apuração dos números de maneira mais confiável. O projeto das bases comunitárias foi lançado há um ano, em maio de 2017.

A unidade engloba uma van, equipada com câmeras de videomonitoramento, rádios digitais e itens de segurança, além de policiais militares. Duas motocicletas também compõem cada uma das bases. 

Em Minas Gerais, os dados de janeiro a março da Secretaria de Segurança Pública (Sesp), por meio do Observatório de Segurança Pública Cidadã, seguem a mesma linha. Os crimes violentos caíram 29%, com o registro de 25.754 ocorrências neste ano, contra 36.636 no primeiro trimestre de 2017.

Assim como no caso da capital, o crime mais em queda foi o roubo, com 31,5%. Quanto ao homicídio, houve redução de 10.434 casos no estado, com um recuo de 32,3% somente na capital. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade